Filmes

Temporada Oscar 2016 #3: A garota dinamarquesa, A grande aposta, Ponte dos Espiões e Ex Machina

Me sinto muito vitoriosa na vida, por ter conseguido (talvez pela primeira vez na história), completar a meta principal de uma maratona Oscar com tanta antecedência. A vez que eu cheguei mais perto disso foi em 2015, quando eu assisti 7 dos 8 (faltou só American Sniper, mas foi de propósito), sendo que os dois últimos assisti só no dia das festividades. Nesse maravilhoso ano de 2016 estava eu, exatamente uma semana antes da premiação, assistindo o último indicado a melhor filme.

Melhor que isso, só mesmo eu ter assistido nada menos do que cinco dos indicados de outras categorias, totalizando 13 dos 23 títulos da minha lista. Estou deveras impressionada comigo mesma, desculpa se estiver me gabando demais. Se eu puder me gabar só mais um pouquinho: lembremos que ainda temos cinco dias até o prazo final, e eu ainda tenho planos de assistir pelo menos as animações (O menino e o mundo, Anomalisa, e When Marnie was there) e os documentários (Amy e What happened, Miss Simone?) que selecionei. A esperança, amigas; ela não morre nunca.

A garota dinamarquesa

danishgirl

Indicações: 4 – Melhor ator (Eddie Redmayne), Melhor atriz coadjuvante (Alicia Vikander), Melhor figurino, Design de produção.

Esse era possivelmente o único filme desses óscares cuja existência eu já reconhecia antes de sair a lista de indicados desse ano. Desde então, um bom tempo atrás, estava com bastante vontade de assistir. Mas minha memória é curta e depois da vontade inicial, ele ficou lá no fundo da mente.

O filme é bem bonito, tanto a fotografia quanto a história. Obviamente que eu dei uma choradinha discreta no final, mas não me deu todos os sentimentos que eu estava esperando. O Eddie estava muito bem, mas foi um erro muito grande pegar dois papéis tão marcantes em tão pouco tempo e eu não consegui não ter Stephen Hawking na minha cabeça o tempo todo — obviamente que isso atrapalhou. Por outro lado achei a Alicia sensacional, e a Gerda idem.

A Grande Aposta

bigshort

Indicações: 5 – Melhor filme, Melhor ator coadjuvante (Christian Bale), Direção, Edição, Roteiro adaptado.

Comecei a assistir esse no sábado anterior ao que eu terminei, porque naquele fatídico dia eu tinha faxinado a casa toda sozinha e não consegui manter os olhos abertos e entender economia ao mesmo tempo. Achei melhor parar no meio e pegar em um momento melhor, porque, apesar de eu ter achado o filme mais branco e com mais homens de todos (um homem negro e uma mulher negra aparecem, mas tem TANTA GENTE nesse filme que eu achei ridiculamente pouco), as recomendações estavam boas e o assunto era interessante.

É exatamente o tipo de filme que meu professor de geografia do ensino médio teria passado em sala de aula (inclusive ele passou alguns sobre o mesmo tema que me ajudaram horrores a entender esse). Não tivesse ele falecido, certamente passaria aos novos alunos. Os atores todos estão muito bem, os recursos usados foram geniais, o roteiro era ótimo e eu demorei uma eternidade pra reconhecer o Brad Pitt. Gostei muito e não foi uma perda de tempo, recomendo (só não assistam com sono).

Ponte dos Espiões

Brooklyn lawyer James Donovan (Tom Hanks) meets with his client Rudolf Abel (Mark Rylance), a Soviet agent arrested in the U.S. in DreamWorks Pictures/Fox 2000 PIctures' dramatic thriller BRIDGE OF SPIES, directed by Steven Spielberg.

Brooklyn lawyer James Donovan (Tom Hanks) meets with his client Rudolf Abel (Mark Rylance), a Soviet agent arrested in the U.S. in DreamWorks Pictures/Fox 2000 PIctures’ dramatic thriller BRIDGE OF SPIES, directed by Steven Spielberg.

Indicações: 6 – Melhor filme, Melhor ator coadjuvante (Mark Rylance), Trilha sonora original, Design de produção, Mixagem de som, Roteiro original.

Um filme americano sobre a guerra fria é um filme americano sobre a guerra fria. Não vou dizer que não é legal. É legal. O roteiro é muito bom, Tom Hanks é mara e faz muita falta no mundo das comédias românticas. Nem reparei na trilha sonora, porque eu sou eu. Agora, sendo um filme americano sobre a guerra fria, obviamente que passei bastante raiva em vários momentos.

Ex machina

exmachina

Indicações: – Efeitos visuais, Roteiro original.

Esse estava na minha lista do talvez, porque pouquíssimas indicações e em classes escrotas, mas eu adoro ficção científica, distopias e similares. Então Craudia comentou que deveria ser promovido da turma do talvez e jogado de paraquedas no sim e eu ouvi. Provavelmente não teria assistido ainda se convenientemente não tivesse estreado no Tele Cine no sábado passado.

Gente, o filme é bom mesmo, podem assistir. Tem a casa que eu queria ter na vida (exceto pelo esquema bizarro de segurança), tem Domhnall Gleeson com aquela carinha de Domhnall Gleeson e Alicia Vikander (de novo) com aquela carinha de fofa. Os efeitos visuais são realmente bons, e a história também. Fiquei adivinhando mil finais e não acertei (o que é bem raro). O final não só me surpreendeu, como me deu uma satisfação íntima um pouco doentia por não ser óbvio. Gente, sério, é ótimo.

>> Criei uma conta no letterboxd pra tentar manter minha vida cinematográfica organizada daqui pra frente. Quem quiser ser migas lá, só chamar.

>> Você já soube da minha newsletter? Assina lá e vire meu correspondente virtual.

>> Amigas Craudia e Sharon também estão nessa onda oscarina, vocês deviam conferir.

Previous Post Next Post

You Might Also Like

2 Comments

  • Reply Sharon 29 de fevereiro de 2016 at 11:04

    Amiga, cê já sabe minha opinião sobre a maioria desses filmes, mas vamos lá:
    Achei uma pena que A Garota Dinamarquesa não tenha feito você sentir tantas coisas, porque ele me fez sentir um bocado, sabe? Eu, que nunca estive em nenhuma das duas situações, senti muito pelos personagens, o tempo todo, foi uma experiência muito doída do início ao fim. Inclusive, achei uma pena que o filme não tenha levado uma indicação a Melhor Filme. Não ia ganhar, mas super valia uma indicação. Ponte dos Espiões é exatamente o que você falou: um filme americano sobre Guerra Fria, sempre vai ser um filme americano sobre Guerra Fria. Não achei ele ruim, mas ainda me questiono se realmente merecia estar ali, concorrendo tanta coisa. Mas o prêmio do Mark Rylance foi merecidíssimo, amei. Aí, por fim, cê falou de Ex Machina, que desses foi o único que eu não assisti ainda. Mas tô bem afim e só não fui atrás ainda porque não deu tempo (acabei assistindo Steve Jobs e A Garota Dinamarquesa ontem porque foi o que consegui encontrar mais rápido). Tô confiando na sua opinião, confiando na opinião de Creidiane, e torcendo pra curtir demais pois sempre prefiro amar hahaha

    TE AMO <3

  • Reply Nana 2 de março de 2016 at 11:56

    Me apaixonei por Garota Dinamarquesa e achei muito merecido o oscar de melhor filme para Spotlight. Não vi os demais filmes ainda!
    Blog super atualizado com as novidades da cerimônia do casamento e da viagem da lua de mel! Passa lá quando puder.
    Bj e fk c Deus.
    Nana
    http://procurandoamigosvirtuais.blogspot.com.br

  • Leave a Reply