Livros

2014 em livros

Esse ano que acaba de acabar foi oficialmente um dos mais literariamente fracos na minha vida, quantitativamente falando. Como eu falei, esse ano eu li pouco, mas vivi muito. Ainda assim, acho que cabe fazer nossa retrospectiva tradicional de todos os anos, só para não perder o hábito. E porque é uma forma de registrar minhas leituras e algumas impressões sobre. Nunca se sabe quando isso vai ser útil.

Livros lidos em 2014

It’s in his Kiss [Bridgertons #7] (Julia Quinn); On the Way to the Wedding [Brigertons #8]; Coisas que ninguém sabe (Alessandro D’Avenia); A menina que roubava livros (Markus Zusak); Looking for Alaska (John Green); Divergent (Veronica Roth); Insurgent (Veronica Roth); Allegiant (Veronica Roth); The Fault in our Stars (John Green); Como ter uma vida normal sendo louca (Jana Rosa, Camila Fremder); Fiquei com o seu número (Sophie Kisella); Minha querida Sputnik (Haraki Murakami); A marca de Atena (Rick Riordan); A revolução dos bichos (Oscar Orwell); Wonder (P.J. Palacio); Eleanor & Park (Rainbow Rowell); A Invenção das Asas (Sue Monk Kidd); Diga aos lobos que estou em casa (Carol Rifka Brunt); The Selection (Kiera Cass); The Elite (Kiera Cass); The One (Kiera Cass); Senhora (José de Alencar); A vida do livreiro A.J. Fikry (Gabrielle Zevin); A Lista de Brett (Lori Nelson Spielman); I heart New York (Lindsey Kelk); Se eu ficar (Gayle Foreman); The Sea of Tranquility (Katja Millay); A Redoma de Vidro (Sylvia Plath).

Casal mais apaixonante

Eleanor e Park: De todos os livros que eu li esse ano E&P definitivamente foi o mais fofo. É um romance dos mais genuínos como só os romances adolescentes conseguem ser. Acho que quando a gente cresce, a gente esquece algumas coisas muito importantes. E&P definitivamente não é “só” um romance adolescente, mas ele definitivamente também é um.

Virei a noite lendo

Parece que faz uma vida, mas li umas séries bem viciantes esse ano. E talvez vocês saibam que eu tenho muitos problemas de autocontrole. Então vou considerar um empate técnico entre os livros restantes dos Brigertons, os livros da série Divergente e os dA Seleção.

Chorei de soluçar

É mais fácil eleger o que não me fez chorar esse ano. Mas se preciso citar aqueles que fizeram isso com mais força, definitivamente vamos ficar com A Lista de Brett, que tem uma mensagem bem positiva e me fez chorar bastante de forma boa, de emoção mesmo, e The Sea of Tranquility, que é uns dos livros mais tensos que eu já li. Sério.

Decepção do ano

Fico absurdamente feliz de informar que não tive n-e-n-h-u-m-a decepção literária esse ano. Palmas.

Livro irrelevante do ano

Como ter uma vida normal sendo louca: não tem absolutamente nada de errado com o livro. É até bem divertido. Mas depois de um tempo ele vai ficando cansativo e, na real, ele não acrescenta (nem pretende acrescentar) nada na minha vida.

O pior livro de 2014/O mais chato

Como ter uma vida normal sendo louca vai levar essa categoria também. Novamente: não porque seja ruim. Talvez só não seja meu tipo de livro. E também fica monótono depois de um tempo.

Nonsense

Infelizmente, não tenho nenhum livro que se enquadre nessa categoria esse ano.

Bate bola de personagens

Personagem masculino mais apaixonante: Maxon Schreave, da série A Seleção.
Personagem feminina que eu queria ser: Sarah Grimké, de A Invenção das Asas.
Personagem mais chato: Não consegui pensar em nenhum, vou pular essa também.
Personagem mais perturbador: “Nastya Kashnikov” (The Sea of Tranquility). E com todo o direito.
Personagem que mais me identifiquei: Brett Bohlinger, de A Lista de Brett. Por ser uma personagem bem mimada e acomodada no começo do livro, e que cresce muito ao longo da história.
Personagem secundário favorito: Toby, de Diga aos Lobos que estou em casa, e Jenny Lopes, de I heart New York (escolhi dois, não confiem em mim — eu roubo).

O melhor de 2014

Essa foi uma escolha absurdamente difícil esse ano, então resolvi eleger mais de um. Podem não ser necessariamente os melhores, mas acho que são os que mais dialogaram comigo e com os momentos que eu vivi durante o ano: The Sea of Tranquility e A Redoma de Vidro. Que bad.

Menções honrosas: A Lista de Brett e Diga aos lobos que estou em casa.

Previous Post Next Post

You Might Also Like

7 Comments

  • Reply Marie Raya 17 de janeiro de 2015 at 13:55

    Paloozinhaaa, desses aí eu li: A lista de Brett e Eleanor & Park. Eu amei amei amei muito os dois. De verdade. Foram livros que me surpreenderam bastante! E 2014 foi um ano muito bom de leituras pra mim, pois eu amei todos os livros que li. Não odiei nenhum e não achei nenhum irrelevante. Enfim, é isso. Te amoo! <3

  • Reply Ana Luísa 17 de janeiro de 2015 at 14:01

    Amo que cê super amou Brett, porque <3 <3 <3
    Amiga, ganhei esse Mar da tranquilidade e to doida pra ler e me perturbar. Nem sabia que era perturbador, agora fiquei bem ansiosa.
    Sua retrospectiva tá ótima, mas a melhor parte dela é que você tem um pior livro de 2012 e um melhor livro de 2013, e eu te amo muito mais por causa disso, juro <3

  • Reply Ana C. 17 de janeiro de 2015 at 17:56

    É quase unanimidade Eleanor & Park, né? Eu amei tanto esse livro <3
    Comecei a ler a série Divergente, mas o começo do terceiro me deu sono e eu larguei. A Seleção só li o primeiro, mas não que seja ruim, eu só priorizei outros na frente. Tô louca pela Lista de Brett e A Vida do Livreiro me rendeu quotes maravilhosas.
    Que máximo você não ter tido nenhuma decepção! E fiquei com vontade de fazer retrospectiva também, será que ainda pode? 😀

    Beijo, Passarinha <3

  • Reply Anna Vitória 17 de janeiro de 2015 at 22:15

    Nossa, você me deixou louca pra ler The Sea of Tranquility, adoro uma treta e, agora que eu descobri que você é minha alma gêmea literária, já tenho o melhor aval possível. Mais uma prova da nossa compatibilidade: Redoma de Vidro foi meu livro favorito de 2013. Ai Sylvinha, ai de nós <3

    Também li Como Ter Uma Vida Normal Sendo Louca e ele acabou sendo uma infeliz decepção. Gosto muito da Jana e adorei o começo do livro, mas algumas coisas me incomodaram muito e também achei que ele começa a se repetir do meio pro fim e nossa, fiquei bem chateada com ele :(((
    Independente de qualquer quantidade, acho que o importante é chegar no fim do ano sabendo que aproveitou a maioria das leituras e não se decepcionou com nada.
    E que venha 2015 cheio de livros maravilhosos <3
    beijos, soulmate!

  • Reply Lilica 17 de janeiro de 2015 at 22:23

    Preciso muito ler Eleanor & Park! Todo mundo amou esse livro e eu não li! E a Lista de Brett também. Também li muito pouco no ano passado, espero ler mais esse ano. E que bom que vc gostou de tudo que leu hein, pelo menos não perdeu seu tempo com nenhum livro chato.Beijos Palo

  • Reply Rafaela Venturim 18 de janeiro de 2015 at 00:17

    Palomitcha,

    Primeiramente, deixa eu dizer que você me inspira muito? Sério, a pessoa EM ANO DE FORMATURA lendo tanto!!! Alouca!! Preciso ser como você! hahahaha Bom, eu, na minha vergonha 😡 ano passado li pouquíssimo, mas meu melhor casal também foi de Eleanor & Park. Não gostei do meio pro final, mas o livro, em geral, achei muito fofinho e bem escrito. Levei umas quotas pra vida!

    To louca pra ler A Invenção das Asas pra comentar contigo e as outras meninas também.

    Fechei meu ano com A Redoma de Vidro e posso dizer que esperava mais? Assim, me identifiquei muito com o livro — a gente sabe etc. — mas sinceramente esperava mais. Não sei. Vai ver, fui com muita sede ao pote.

    Enfim, que 2015 nos traga outras boas leituras!!

    Beijos

  • Reply Ana Luíza 21 de janeiro de 2015 at 09:56

    Palo <3

    2014 foi um ano bem pouco produtivo pra mim também nesse sentido, mas tenhamos fé que 2015 será melhor HEHEHEHE. Ainda não li Eleanor & Park. Aliás, nunca li Rainbow, mas esse ano vai. Comprei Fangirl e Anexos e assim que eu encontrar também tirarei o atraso com Eleanor & Park porque é muito comentário positivo pra eu ignorar esse casal.

    Tô louca pra ler vários dos livros que você leu no ano passado. Já comprei alguns (A lista de Brett e A menina que roubava livros, por exemplo), mas A redoma de vidro tem me puxado demais, então ele passaria fácil na frente de todos os outros se já estivesse nas minhas mãos.

    beijo! <3

  • Leave a Reply