Livros

ManOel Carlos matou a fênix

Quase dois meses sem dar as caras por aqui. Só posso dizer: que vergonha. Ia chegar cheia de purpurina e dizer que ressurgi das cinzas, mas a primeira coisa que me veio à mente com essa frase foi a novela das nove e, por mais que meu último post aqui tenha sido justamente sobre essa novela, não quero ser associada a Laerte e Helena, por favor.

Só para vocês saberem, absolutamente nada de interessante aconteceu na minha vida desde a última vez que vocês me viram. Ok, isso não é verdade. Nem um pouco. Tive alguns dos momentos mais maravilhosos da minha vidinha com a visita das meninas da Máfia à minha cidade Maravilhosa. Mas fora isso eu juro que nada revolucionário aconteceu.

O motivo da minha visita extraordinária de hoje é nada mais, nada menos que dona Ana Luísa, que é muito mais eficiente que eu e arranjou um meme literário. E indicou a minha pessoa. E eu não resisto a memes literários (a não ser que eles sejam em vídeo, porque tenho preguiça).

Em primeiro lugar, explicações: a Analu viu esse meme no blog da Del, que não sabia a origem, então se ele for seu, é só dizer – todas daremos os devidos créditos. Editandotag criada pela Ines, do canal InesBooks, sob o título “Palavra cruzada”.

1. Vox Populi (um livro para recomendar a toda a gente)

Essa pergunta seria muito difícil, se não fosse muito fácil (?). Eu tenho um problema muito sério em indicar livros, a não ser que eu conheça tão bem a pessoa que eu tenha certeza que ela vai gostar (e só existe uma pessoa nesse mundo que se enquadra nessa categoria; beijos, Kika). Mas existe um livro, e apenas um livro, que eu tenho certeza absoluta do fundo do meu coração que todo mundo deveria ler, e o nome dele é Passarinha.

2. Maldito Plágio (um livro que gostaríamos de ter escrito)

Eu não tenho a humildade da Analu, se é para escolher um livro que eu gostaria de ter escrito, não vou ficar nos “pequenos”. Afinal, querer não é poder, e se na vida minhas possibilidades são limitadas pelo meu potencial, na minha mente eu posso fazer o que eu bem entender. É por isso que o livro que eu gostaria de ter escrito, e que é e sempre será o amor da minha vida, é Orgulho e Preconceito. Me julguem.

3. Não vale a pena abater árvores por causa disto

Passei uns bons minutos encarando minha estante tentando pensar em um livro que tivesse me decepcionado o suficiente que justificasse uma afirmação tão forte. Não encontrei. Já estava vindo me desculpar e dizer que não tinha um vencedor para essa categoria, mas aí lembrei de um livro que eu dei de presente para uma amiga e nós duas odiamos (vejam só os males de dar presente pela capa). Não chego a dizer que o livro não devia existir na face da terra, mas em tempos de e-book, quem realmente não justificou as árvores gastas foi: A menina que não sabia ler.

4. Não és tu, sou eu (um livro bom, lido na altura errada)

Não é segredo para ninguém que eu sou uma louca viciada nas séries de Percy Jackson desde que minha amiga (que já está aparecendo demais nesse post) começou a me emprestar os livros. Entretanto-contudo-todavia, eu estou numa fase literariamente tão fundo do poço que a pobre da Marca de Atena está ali, meio lido tem uma vida e meia. E o pior de tudo é que eu estou gostando do livro, o problema é que eu simplesmente não consigo sentar a minha bunda (e nem ficar em pé, ou deitada) e ler.

5. Eu tentei… (um livro que tentamos ler, mas não conseguimos)

Eu tentei não uma, mas duas vezes. E planejo tentar uma terceira, porque eu sei que é um livro bom e eu nem lembro mais porque eu acabei parando todas as vezes que eu comecei. Ou lembro mais ou menos… Da primeira vez, ele chegou às minhas mãos como Livro Viajante, meu prazo acabou e a leitura não; da segunda, comecei a ler para um “clube do livro” e não terminei a tempo, então passei para o do mês seguinte – ou algo assim. De qualquer forma, o que importa é que eu tentei, mas ainda não consegui terminar de ler Drácula.

6. Hã? (um livro que lemos e não percebemos nada OU um livro que teve um final surpreendente)

Me apedrejem, mas se essa categoria é para um livro que não me marcou em nada, o vencedor é As Brumas de Avalon 1: A senhora da Magia. Passou tão em branco que depois de conseguir terminar, me deixou sem a menor vontade de seguir na leitura da série e os próximos livros estão sentados na estante, esperando o dia em que todos os outros livros da estante forem lidos, ou que eu surtar.

7. Foi tão bom, não foi? (um livro que devoramos)

Só teve um livro (na verdade, uma série) que conseguiu passar por cima da minha ressaca literária desse semestre, e só por isso ele merece muito crédito. Continuo falando no singular, mas tenham muita certeza que todas as afirmativas aqui contidas valem para a série Divergente como um todo. Tirando o terceiro, que demorou um pouco mais, li cada livro em uns dois dias. E não me arrependo de nada.

8. Entre livros e tachos (uma personagem que gostaríamos que cozinhasse para nós)

E aqui está ele, o momento que todos esperávamos, também conhecido como aquele em que eu vou responder um sonoro e redondo não faço ideia para alguma das perguntas. E eu realmente não faço. Acho que está faltando gente prendada nos livros que eu leio. Será que todo mundo tem empregada?

9. Fast Foward (um livro que podia ter menos páginas que não se perdia nada)

O vencedor dessa categoria é um livro que eu amei, e cujo excesso de páginas tem até uma justificativa, mas que só engrenou mesmo depois do meio. Se toda a primeira metade fosse cortada e substituída por alguns diálogos sobre o tema, o livro não perdia nada (além do caráter didático) e a história continuaria basicamente a mesma. O livro é O Mundo de Sofia.

10. Às cegas (um livro que escolheríamos só por causa do título)

Sinceramente, a ideia de escolher um livro só pelo título nunca me passou pela mente. Mesmo porque, o titulo que chega até a gente poucas vezes é o título original, muitas vezes não tem nada a ver com ele e escolher pelo título parece um pouco com escolher com base em uma mentira. Comprar pela capa, faço sempre; pelo nome, não. Ainda assim, pensando por esse lado, acho que Para sempre Alice foi quase isso (considerando que a capa é quase toda branca e eu não lembro de ter sabido bem a história antes de ler). E se tem um título que me faria comprar, acho que é esse.

11. O que conta é o interior (um livro bom com uma capa feia)

Eu não diria feia, exatamente, mas se tem um livro cuja capa realmente não faz jus ao interior, é As Memórias do Livro. Por causa dela, o livro passou anos na minha estante sem despertar o menor interesse, até que ele foi o eleito de um daqueles surtos que me são próprios e… Cara, que livro bom. Juro. Essa capa realmente não retrata o livro e tudo que ele contém.

12. Rir é o melhor remédio (um livro que nos tenha feito rir)

Vou copiar Analu nessa categoria, mesmo porque quem me indicou o livro foi ela mesma. Um dos livros que mais me fez rir nessa vida foi O Segredo de Emma Corrigan, da Sophie Kinsella. Eu já tinha lido Delírios de Consumo de Becky Bloom, mas a história da Emma é definitivamente muito mais divertida.

13. Tragam-me os Kleenex, se faz favor (um livro que nos tenha feito chorar)

Ai, foram tantos que se eu fosse fazer uma lista aqui, a gente ficava para sempre. Então vou citar três e a gente fica nisso, pode ser? O primeiro livro que eu lembro e ter chorado na vida foi Harry Potter e o Enigma do Príncipe, naquela parte que todo mundo já sabe qual é. As outras duas menções honrosas são:  o já citado Para sempre Alice e A elegância do Ouriço.

14. Esse livro tem um V de volta (um livro que não emprestaríamos a ninguém)

Não tenho isso, não. Na verdade, se você tem qualquer acesso aos meus livros, é porque eu confio em você o suficiente para te emprestar qualquer um deles. Mas se a gente converter essa pergunta em “qual livro você tem mais medo de perder?” com certeza vão ser aqueles com dedicatória. Que eu me lembre, são: Pollyanna (que tem palavras lindas da minha Bisa que não tá mais aqui), Harry Potter e a Pedra Filosofal (que foi dedicado pela minha mãe) e, os caçulas da tchurma, Emma (com as palavras da Giu) e The Ocean at the end of the Lane (que tem uma mensagem linda da Anna).

15. Espera aí que eu já te atendo (um livro ou autor que estamos constantemente a adiar)

Acho que dá pra dizer que 90% da minha estante está nessa categoria, mas pensei pensei pensei tentando achar uma resposta melhor e acho que um livro em especial ganha o prêmio: O Arqueiro. Coitado, comecei em outubro do ano passado, ele nem me pertence e acaba sempre jogado para escanteio quando eu começo (e termino) de ler outros livros. Já estou até me sentindo mal por ele.

Então foi isso, espero não ter ficado muito cansativo. Normalmente eu sou a retardada que não indica ninguém e estraga a brincadeira (talvez porque eu sempre seja a retardada que fica por último), mas dessa vez fui devidamente intimada pela chefa a fazer as minhas indicações, então aí vão: Giuliana, Couth, Gabirala, Mayra e Larie. Enjoy.

Previous Post Next Post

You Might Also Like

5 Comments

  • Reply Ana Luísa 16 de maio de 2014 at 19:48

    Amiga, basicamente chorei de rir lendo tuas respostas, a começar por esse título sensacional, HAHAHAHA. Eu sempre quis ler as Brumas de Avalon, mas nunca parei de pensar e simplesmente comprei. Ficava enrolando pra comprar e agora que desanimei mesmo. E, por favor, personagens prendadas! HAHAHAHA, acho que elas andam com a vida muito mansa tendo empregadas. Emma é muito engraçado né? E eu lerei Passarinha esse mês! E fiquei com dó da menina que não sabia ler! Achei o livro uma PIRA, mas acho que dei… Adivinhe só:::: TRÊS BANANAS!
    Te amo, passarinha!

  • Reply Giuliana Motyczka 16 de maio de 2014 at 20:18

    Minha passarinha <3

    Primeiro queria dizer que: saudade. Dito isso, já posso discorrer sobre suas respostas. Posso começar pelo meio? Posso, né? Então: brotou uma lágrima aqui no cantinho do olho quando li que você tem medo de perder livros com dedicatória e meu nome foi citado, ali. Tô emotiva, pois é.

    E eu super acho que você teria potencial pra escrever Orgulho e Preconceito <3 E é isso aí: se é pra sonhar, que seja bem alto, acima das nuvens (quando ler Emma, let me know).

    Se as personagens dos seus livros não cozinham, deixe esse trabalho pra mim. A começar pela lasanha de Tia Lara que preciso aprender pra ontem.

    Amo você, amiga <3 (e em junho, depois das nossas provas, voarei praí, pode?)

  • Reply Anna Vitória 16 de maio de 2014 at 22:43

    Eu já tava disposta a ler Passarinha por motivos ÓBVIOS (um livro chamado Passarinha que é recomendado por uma pássara <3), mas depois dessa sua recomendação tão veemente eu já abri a página do Submarino pra procurá-lo!

    Fui na estrada da humildade junto com a Analu, mas Orgulho e Preconceito é um livro que eu também queria muito ter escrito <3

  • Reply Mayra 17 de maio de 2014 at 12:16

    Cara, sério que tem um livro que se chama passarinha? A vida faz muito mais sentido agora! HAHAHAHA
    Adorei tuas respostas, vocês estão me deixando com um pinguinho de vontade de ler esse tal de “divergente”, mas os pés atrás ainda prevalecem!
    Também tenho Brumas de Avalon intocada na prateleira, comecei o 1, achei um porre e abortei a missão total! HAHAHAHA Preciso me desfazer deles, aliás, tão só ocupando espaço. Certeza que nunca lerei.
    Obrigada por ter me indicado, já respondi!
    Espero que vc poste mais, ainda aguardo o texto sobre o encontrão!
    Abraços <3

  • Reply Flá Costa* 18 de maio de 2014 at 15:10

    Ai eu amo esses memes porque a gente descobre mais livros incríveis, ou se lembra de livros incríveis ou se choca por alguém não ter achado um livro incrível. rs
    Passarinha eu preciso ler e estou pra ler desde quando você me indicou tempos atrás, estou passando em uma livraria agora e a vontade de adquiri-lo é… alta! rs. A Elegância do Ouriço não me fez chorar, mas cortou meu coração pro-fun-da-men-te e também consta na minha lista. Foi leitura recente das melhores. As Brumas de Avalon é um choque porque todo mundo ama e eu definitivamente não sei como faço parte da Máfia sem ter lido Sophie Kinsella. Acho que vou comprar um hoje também.
    O choque ficou por conta de “A Menina que não sabia ler” porque eu amei. Sério, achei muito bom! Cheguei a recomendar para algumas pessoas e lembro de ter ficado tão chocada com o fim (como não o incluí na minha lista?) e de ter achado genial! rs… Duas interpretações completamente diferentes a sua e a minha.
    É por isso que eu amo ler.

  • Leave a Reply