Livros

Minha opinião sincera sobre Mentirosos

Talvez o título desse post tenha passado uma impressão negativa. Me desculpem, eu só fiquei com esse jogo de palavras levemente infame na cabeça e não quis me desfazer dele só porque talvez passasse uma ideia completamente contrária às minhas impressões. Afinal, vocês vão ler esse texto até o fim, né? Se você não estiver com saco/tempo de ler minha maravilhosa introdução, pode pular uns quatro parágrafos, eu nunca vou saber (comece a partir da frase em vermelho).

Conheci esse livro sem querer, quando a Tary enviou uma foto da primeira página, apenas porque a primeira página dele merece entrar para a lista de melhores primeiras páginas da história. Li, gostei muito e coloquei na lista de desejados por muita força de vontade. Se fosse seguir meus impulsos eu teria comprado logo, mas estou realmente tentando não aumentar minha pilha de não lidos (ainda não comprei nada novo esse ano, palmas). Só que eu não seria eu se não arrumasse um jeito escuso de burlar minhas próprias regras, então coloquei ele na minha lista de presentes em um dos amigo ocultos que participei no natal.

Gosto de acreditar que foi o destino (mentira, só estou tentando fazer vocês acreditarem que eu sou hare krishna ou algo do tipo), mas dos três livros que pedi, esse foi o que eu ganhei. Só que até isso acontecer eu já tinha perdido todo o ímpeto inicial e ele foi parar na pilha (aquela), coitado. É assim que eu funciono, lidem com isso.

Mas então algo aconteceu.

~TAN DAN DAAAN~

Estava eu terminando um livro e me preparando para começar Reparação (que acabou ficando gravado na minha meta do Skoob desse ano porque ficou pendente na do ano passado), quando a Exma. Sra. Anna Vitória Contagious (também conhecida como meu-padrão-universal-para-leituras-e-outras-coisas-relevantes-no-universo) comentou que estava não lendo, mas RE-lendo Mentirosos. E se esse livro tem cacife para fazer Anna Vitória ler e reler em tão pouco tempo, eu precisava ver qual era a dele imediatamente.

Então eu peguei o tal do livro. (E é aqui que começa a minha opinião, enquanto os quatro parágrafos acima foram mera encheção de linguiça porque eu amo um suspense.)

Como falar desse livro que eu mal li e já considero pacas? Acho que é melhor começar esclarecendo que, mesmo que ele não fosse tão bom assim (o que ele é), Mentirosos provavelmente ficaria bem no meu conceito por vir logo depois de uma leitura que não bateu comigo (e que eu não vou revelar qual é porque não quero ser linchada, me perguntem em off).

O que eu achei e que me impressionou (talvez porque seja uma das únicas no meu círculo que ainda não leu Frankie Landau-Banks, da mesma autora) é que a escrita dele tem uma densidade que não se costuma ver por aí em livros desse gênero. E eu não estou depreciando o gênero, gente, adoro livros YA.

Os personagens são maravilhosos porque eles são tão ridiculamente reais que não dá para adivinhar realmente o que cada um fez ou deixou de fazer. Todos parecem ser igualmente bacanas e com potencial para ser o suposto “vilão” que nós somos induzidos a acreditar que existe. Confuso? Acredito que sim.

É como uma boa história de suspense, todos ali podem ser “o culpado”, e à primeira vista (e, ao meu ver, em todas as vistas) realmente não dá para saber ‘se’ ou ‘quem’ fez alguma-coisa-que-PARECE-ter-acontecido-mas-sobre-a-qual-ninguém-fala.

As figuras das tias, principalmente, reúnem mil facetas diferentes. Elas são gananciosas, mimadas e socialites, sim. Mas elas também aparecem como figuras materna(i)s que eu nunca vi antes serem associadas a esse tipo de personagem, e isso me causou muita estranheza (de um jeito bom).

Se os parágrafos acima fundiram seu cérebro, tenta ler o livro que vocês vão ver o que é confusão mental. Gente, eu sou boa pra adivinhar finais, mas esse daí está de parabéns. Ele apenas explodiu minha cabeça. Com força. De surpresa. Eu não sabia quem eu era, onde estava nem como lidar com tudo aquilo. Eu não digo isso com frequência porque sou muito cautelosa com o que indico, mas: amigos, vocês precisam ler esse livro. (E talvez essa pseudoresenha seja muito mais interessante para quem já leu.)

Falei falei e não falei nada porque, na real, só tem uma coisa que eu posso e quero dizer sobre Mentirosos, e vocês que me perdoem a expressão: CA-RA-LHOA.

Previous Post Next Post

You Might Also Like

10 Comments

  • Reply Brendha Cardoso 24 de janeiro de 2015 at 20:53

    Primeiro que: não pulei os parágrafos iniciais porque também sou dessas. Amo/sou fazer toda uma introdução deixando aquele suspense no ar. E também adoro quem faz isso. Fica mais uma conversa descontraída entre amigas do que um post propriamente dito (na minha cabeça isso faz sentido, juro) e por isso faço esse tipo de introdução maluca nos comentários também. Lide com isso. auhauhauhau

    Agora foco.

    Mentirosos está na minha lista de livros “quero ler pra ontem” e me arrependo amargamente de não tê-lo comprado ainda. A última compra que fiz na Saraiva quase me obrigou a trazer ele pra casa porque tava barato, tava me chamando, mas mesmo assim não comprei. E agora eu li essa resenha e COM LICENÇA QUE TÔ INDO LÁ BUSCÁ-LO AGORA.

    Super amei o jeito que tu falou, falou e não disse nada (digo isso no sentido bom, que falou da história, mas não deu spoilers) e me liguei tão emotivamente a esse post que quando eu comprar o livro e ler e me apaixonar por ele também (sim) eu vou voltar aqui e vou ler esse post novamente e vou escrever um comentário que faça mais sentido. Ok?

    Nunca sei como terminar comentários, mas tudo bem. Beijos!

  • Reply Ana Luísa 24 de janeiro de 2015 at 21:09

    Odeio não entrar na pira de vocês. :((((
    Achei Mentirosos pretencioso, metido a besta e sem graça. Achei que ela forçou os personagens pra eles serem perturbadores, eles não me convenceram como naturalmente perturbadores feito os de “nada”, sabe? Enfim! Não discuto, porque odeio rechaçar o amor dos outros, acho lindo que vocês amem. <3

  • Reply Carol Rodrigues 27 de janeiro de 2015 at 15:02

    Primeiramente, preciso fazer um comentário sobre o título, porque se tem algo que me compra na hora de ler um post, é o título e eu adorei esse hahahah
    Esse livro estava na minha lista mental de desejos faz séééculos e eu acho que preciso movê-lo alguns tópicos acima na escala de prioridades, porque não resisto a um bom suspense (e uma boa resenha).

    Beijo!

  • Reply Tary Zottino 27 de janeiro de 2015 at 17:54

    Amiga, confesso que fiquei com medo quando li o título! Até corri os olhos pelo texto pra descobrir se você tinha odiado mesmo, hahaha! Que lindo estar enganada <3

    Você conheceu o livro por mim! Concordo plenamente sobre a primeira página. É um dos meus inícios favoritos da vida.

    (Trate de me contar qual foi esse livro que você não quis confessar o bléhzismo hahaha)

    Eu meio que adivinhei o final (depois te explico), mas achei o livro INCRÍVEL. Muita pauta para discussão, escrita lindíssima, enredo inesquecível.

    Te amo muito <3

  • Reply Kamilla Barcelos 27 de janeiro de 2015 at 20:00

    Eu estou querendo ler esse livro porque vi vários comentários positivos sobre ele. E a sua resenha só vem somar, Palo. Está me dando muita vontade de ler! haha E como você disse,
    Como eu também prometi não comprar livro até dar uma boa lida nos que comprei, vou aguardar ou dar um jeito de burlar. haha
    Beijos

    P.S.: Estou amando nós duas tão postadeiras. haha

  • Reply Lilica 27 de janeiro de 2015 at 20:12

    Nossa! Fiquei com muita vontade de ler esse livro! Primeiro porque adoro suspense e segundo porque adoro ser surpreendida com finais inesperados (desde que não sejam ridículos como foi, para mim, o final de Garota Exemplar).
    Vou ali colocar na minha lista de Desejados do Skoob! Valeu pela dica! 🙂

    Beijos Palo

  • Reply Anna Vitória 28 de janeiro de 2015 at 13:55

    Como pude deixar passar esse post? Adorei que fui citada como excelentíssima, amo esse vocabulário de adevogados hahaha <333
    Então, já tagarelamos bastante sobre esse livro e quanto mais eu penso nele, mais incrível eu acho. Adorei o que você falou sobre a nuance da personalidade das tias, que são total isso. Elas podem ser ambiciosas e egoístas, mas tem um carinho maternal na personalidade delas que encanta. Gostei muito dos primos também, principalmente o Johnny e a Mirren, porque pra mim são personagens que você nunca vai conseguir sacar completamente qual é a deles, e eu acho isso ótimo! Sempre que penso a respeito tiro novas conclusões.

    Aí temos o final. Aquele final que me tirou do prumo. Ai que saudades, será que já dá pra reler pela segunda vez? HAHAHA
    beijos <3

  • Reply Ana C. 28 de janeiro de 2015 at 22:50

    Quero tanto ler esse livro, mas agora sou um ser humano que só compra livros com Renata porque acho um ~passeio romântico~ e ainda não tivemos tempo de ir na Culturinha, tsc. Achei digno sua resenha porque quanto mais pessoas dizem que gostaram, mais meu dedinho fica coçando pra gastar dinheiros com ele. Tá no topo da lista e eu mal vejo a hora dele explodir minha cabeça toda <3

    Beijo, Pássara ;*

  • Reply Gabriela Couth 2 de fevereiro de 2015 at 11:08

    Esse livro foi tipo um tiro no meio do meu cérebro, mas tudo bem, porque eu nunca percebo as coisas chegando. Sou o melhor tipo de leitora, a que só percebe as coisas quando o autor quer! hahahahah!

    Me pegou de muita surpresa. Achei todos os personagens muito bem construídos, e adoro o jeito que essa autora escreve!

    Affff
    Vamos fazer nosso clubinho amiga, beijos.

  • Reply Resultado do Desafio Literário 21: Lendo Mais Mulheres 11 de março de 2015 at 21:38

    […] 2º: Paloma Engelke, do blog Eucentrismo/Vizinha da Capitu, com a resenha de Os Mentirosos, de E. LockHart. […]

  • Leave a Reply