Livros

Sobre uma certa herdeira

~~ATENÇÃO: contém spoilers dos três primeiros livros da série A Seleção.~~

Ano passado eu li toda a série dA Seleção. Ou melhor, o que eu achei que era toda a série. Jamais me passou pela cabeça que veríamos algo depois do fim, e tudo bem por mim, já que a história me pareceu bem terminada e amarrada. Fim, homem escolhido, casamento acontecido.

Mas aí, alguns meses depois, eu descobri que teríamos um novo livro, porque aparentemente o casal real deu cria.

Ao meu ver, a história do livro novo é completamente independente dos livros anteriores, e eu sinceramente não classificaria como a mesma série, mas quem sou eu para discutir com a autora. O que importa é que era um livro novo seguindo a mesma trama, mas agora com a futura-rainha Eadlyn como personagem central.

Minha certeza absoluta desde o começo foi: oba, novo triângulo amoroso, poucas alterações da trilogia original e um livro novo para eu me viciar. Mas só a última parte da frase anterior se provou certa.

Acontece que a princesa Eadlyn, filha da America e do Maxon (essedois essedois), é incrivelmente chata muito independente, foi treinada a vida inteira para assumir o trono e não quer nenhum homem torrando o saco dela. Ela quer reinar sozinha, ponto. E está tudo muito bem, tudo muito bom com esse plano, até que complicações políticas tornam necessário que se crie uma distração (pão e circo, né?), e a melhor coisa que eles conseguem pensar é dar a guria em sacrifício por meio de uma nova seleção.

O diferente, no caso, é que como nosso casal real maravilindo fez questão de mudar a lei pra que a primogênita pudesse reinar, ainda que ela fosse menina, essa é a primeira seleção na história que tem um catálogo de homens, e não de mulheres. O que pra mim foi suficiente pra transformar a situação toda de altamente bizarra-meu-deus-quem-faz-uma-coisa-dessas em total e completamente assustadora. É tipo uma balada de 36 pessoas em que você é a única mulher (além de rica, linda e herdeira do trono). Nada de bom pode sair disso.

Então que a chata concorda com o plano do pai (não sem muito drama) e começa a organizar a seleção, e ao mesmo tempo bola um plano para conseguir sair dela sem um marido. Ponto para ela. Mas eu ainda esperava que os home iam chegar, ela ia se apaixonar por dois e a história ia seguir daí.

Só que não (com a graça do senhor).

O que acontece é que trinta e cinco homes chegam. Alguns fofíssimos, alguns ok, alguns babacas (claro). E ela ainda não quer casar. E eu achei isso apenas a glória.

Um milhão de pontos para a Keira Cass, juro por tudo o que é sagrado. Ela não cai no clichê, ela não cria a mocinha indomável que cai de joelhos por qualquer um que apareça na primeira oportunidade. Ela cria uma personagem que é um porre em tantos aspectos (e quem não seria, sendo linda, rica e herdeira do trono?), e nos dá trocentas mil lições que ainda estão altamente em falta na literatura juvenil.

NA Herdeira temos:

  1. Uma futura-rainha que não quer casar,
  2. Uma lei alterada para que o país possa ter a primeira rainha,
  3. Uma conselheira kick-ass que é casada com o trabalho,
  4. Quinhentos mil exemplos de como nem toda história precisa se encaixar na equação pouco conteúdo+muito romance,
  5. A primeira história adolescente que eu já li que aborda uma questão que todas nós, meninas e mulheres desse século vão enfrentar: carreira x família,
  6. O dilema que todas nós já vivemos entre os antigos papéis que a sociedade já espera que a gente assuma e os novos papéis que querem que a gente assuma também.

Não estou dizendo que o livro é perfeito, e eu ficaria infinitamente feliz se ela não ficasse com ninguém no final (apesar de que isso deixaria muita gente um pouco chateada), mas é definitivamente muito diferente de tudo o que eu já li antes, especialmente para o público-alvo em questão – e sem perder nada no quesito “viciabilidade”(?).

Então aceitem a minha palavra e leiam, porque estou muito solitária aqui nesse cantinho onde me enfiei para chorar até a chegada do próximo livro, no ano que vem.

I whipped back around. “I can do more in ten minutes wearing this dress than most men can do all day wearing pants.”

Previous Post Next Post

You Might Also Like

4 Comments

  • Reply Sharon 14 de maio de 2015 at 00:00

    Até hoje eu não li A Seleção, mas juro que foi muito mais por falta de oportunidade (do tipo eu estar pirulitando pela livraria e encontrar o livro – que sempre tá em falta – e veja só que milagre, tem dinheiro na minha carteira!), do que por não querer. Eu poderia comprar online, é claro, mas morro de preguiça de esperar então né, vamos esperar que o universo colabore. Enfim, tudo isso pra dizer que eu não li A Seleção, apesar de ter vontade, e fiquei ainda com mais vontade quando você falou dessa continuação. Logo que comecei a ler o post eu pensei “cilada”, porque não imagino uma continuação que provavelmente só veio por causa do $uce$$o da primeira série como algo potencialmente bom. Mas eu confio no seu gosto, miga, apesar de você ter curtido Mentirosos e não ter curtido Como Eu Era Antes de Você (estamos de olho) e agora só fiquei com mais vontade de ler tudo e me jogar nesse universo.

    te amo <3

  • Reply Nana 14 de maio de 2015 at 08:42

    Você acredita que eu tenho os 3 primeiros livros e ainda não li? E agora também fiquei sabendo desse novo aí e estou a caça para comprar. Vamos ver quando vou conseguir chegar até eles para ler hehehe.
    Bj e fk c Deus.
    Nana
    http://procurandoamigosvirtuais.blogspot.com.br

  • Reply Analu 14 de maio de 2015 at 09:40

    Meu amor, cê voltou! Tava chatielly de entrar no blog todo dia e não ver nada, hihi.
    Então, sabe que eu amei que ela resolveu escrever esse outro, pra mostrar que com as princesas podia ser da mesma forma? Por mais que pareça tenebroso uma menina sozinha e 35 homens enchendo o saco, acho justo mostrar que a princesa também pode dominar a situação e ter que escolher entre os homens, e não apenas um macho alfa tendo que escolher a mulher que quer, sabe?
    E pelo visto o livro tem um ganho maior ainda que o que eu pensava. Indiquei para uma priminha de 12 anos que devorou a série da seleção e já vou dizer pra ela tratar de ler a Herdeira também, porque né?
    Te amo! <3

  • Reply Thay 14 de maio de 2015 at 12:17

    Já a li A Seleção e, assim como você, estava perfeitamente bem com o final da trilogia. Tanto é que quando soube que teria mais história, agora com a cria de America e Maxon, torci meu nariz arrebitado, haha. Na minha cabeça não precisava de mais uma história, a primeira estava de bom tamanho! Mas aí que teu post me deixou curiosa e já vou atrás desse livro, oh my. Espero – muito – não me arrepender, pois não tenho a menor paciência pra protagonista pentelha. XD
    Um beijo!

  • Leave a Reply