Livros

Um dia ainda desidrato

Segunda-feira chegou aqui meu primeiro livro viajante. “Meu pé de Laranja Lima”. Me chamem de ignorante, mas eu não sabia a história do livro. Se isso a sinopse já mal me disse, imaginem se eu ia imaginar a minha reação ao lê-lo, não é verdade?
No mesmo dia que ele chegou, eu estava terminando de ler “Die for me”, livro que chegou nas minhas mãos através de um book tour, e na mesma noite engrenei na leitura. Só que só deu tempo de ler o primeiro capítulo, e eu fui dormir achando aquele livro uma gracinha.
No dia seguinte, quase não li, porque Pedro, o namorado, tomou vergonha na cara e veio me ver (brincadeira, amor). Passei o dia inteiro, então, na mesma ilusão, até que voltei do pilates, mais tarde, e voltei para a vidinha do Zezé. 
Caramba, o que foi aquilo! Li mais alguns poucos capítulos e tive que tirar o resto do dia de folga de tanto que chorava. Era quase meia noite e mamãe estava já deitava, mas (no melhor estilo dois anos de idade) me escorreguei para o lado dela, a abracei e fiquei ali chorando altamente deprimida. Foi horrível!
Hoje tinha cabeleireiro de noite, então fomos almoçar no shopping e depois fui passar a tarde no trabalho dela. Obviamente, levei “meu” livro debaixo do braço. Li a tarde toda, até que a coisa começou a ficar insuportavelmente triste de novo, lá para o final. Fechei o livro no meio de uma cena para não começar a chorar alto e pagar mais mico do que já estava pagando, com meu nariz vermelho que me entrega logo sempre que vou chorar. 
E isso tudo porque estava em público, se tivesse em casa tenho certeza que teria sido muito pior.
Apesar de tudo isso, mais uma vez fiquei triste com o fim de um livro. Aquela depressão pós livro básica, sabem? A história daquele garotinho me comovei muito. Ver como ele era maltratado e incompreendido por quase todos que o cercava. Queria que continuasse, ver o que vinha depois. Tinha que ter algo mais! Mas não tinha. Estou sentindo falta do Zezé.
Previous Post Next Post

You Might Also Like

7 Comments

  • Reply Nathy 21 de julho de 2011 at 00:03

    Ahh, eu nunca li também! Mas fiquei curiosa…rs

    Beijos!

  • Reply Ana Luísa 21 de julho de 2011 at 00:26

    Ei! =]
    A Tary leu esse livro também, e ama! Eu vou adicionar na minha lista de ‘vou ler’ do skoob, pra não esquecer! 😉
    Beijos!

  • Reply Tary ♥ 21 de julho de 2011 at 00:47

    Aninha tem razão, eu amo muito “Meu Pé de Laranja Lima”! Lembro que quando terminei a leitura ainda fiquei um tempão chorando. A minha mãe me ligou e eu atendi aos prantos, sabe? Aí ela ficou toda preocupada até eu dizer que tinha acabado de ler um livro tristíssimo, hehe. É incrível mesmo. Zezé é a criaturinha mais fofa da literatura nacional, simplesmente inesquecível… Beijos!

  • Reply Bruna Rodrigues 21 de julho de 2011 at 21:05

    Eu lembro que há muito tempo tinha uma novela com esse nome, creio que passava na Band. Mas não lembro muito da história e achei bom saber que tem um livro. Me interessei 🙂

  • Reply sobrefatalismos 22 de julho de 2011 at 17:33

    Existem livros que emocionam mesmo a gente. Lembro-me de alguns, não chego a chorar torrencialmente, mas me vejo tanto na personagem – ou penso já ter enfrentado tal situação que o livro parece ter sido feito pra mim. E a literatura é o que nos move.
    Beijo.

  • Reply Gab 24 de julho de 2011 at 02:57

    Ai nunca li, mas agora me deu vontade. Gosto de livros que me faz chorar.
    Vou por na minha listinha. (:
    Beijo.

  • Reply Camila 24 de julho de 2011 at 18:42

    Ah, acho que ninguém lê esse livro sem chorar ou sem ficar pelo menos triste e pensativo por alguns dias. É fascinante!

  • Leave a Reply