Na TV

Problema no coração

Eu sofro de um problema muito sério no coração. Mas não precisam se preocupar, porque não é nada clínico. A origem do meu problema é uma infância superlotada de novelas, livros e princesas da Disney, e agora eu simplesmente tenho uma incapacidade crônica de viver no mundo real.

É quase como o problema das crianças viciadas em pornografia, que com o tempo não conseguem mais se satisfazer com as experiências da vida real. Eu sou viciada em romance fictício. A tal ponto que qualquer experiência real que eu presencio/ouço falar me arranca um “aw” e um suspiro, mas só aquelas cenas bem melosas e clichês da ficção conseguem fazer meu coração se contorcer como roupa molhada na mão de lavadeira.

É por isso que A Nova Cinderella é o filme da minha vida e, por mais que eu curta um Almodóvar, jamais me lembrarei de “A Pele que Habito” quando me perguntarem meu filme favorito. Não me importa o valor artístico, o nome do diretor, o gênero. Para mim existe uma pergunta crucial no momento de determinar se eu quero assistir um filme, ou se… eh, pode ser.

Como o “paradoxo piraquê”, eu coloco aí a culpa da minha assumida noveleirice. Afinal de contas, nada como um bom romance de novela, com aquela velha fórmula (casal se conhece-vilão separa casal-a trama é descoberta-casal termina junto) para fazer meu coração bater mais forte. E não precisa nem ser o casal protagonista.

Quando a novela das seis (Joia Rara) começou, eu realmente queria assistir, por causa do tema. Com o passar do tempo, ficou óbvio que novela das seis simplesmente não é compatível com meu atual (e temporário) estilo de vida. E eu larguei. Mas continuei acompanhando de longe, por meio da mamãe. Foi desse jeito mais ou menos que eu vi Hilda conhecer Toni, Hilda namorar Toni, Toni descobrir a verdade sobre Hilda, Toni e Hilda casarem (…) e, finalmente, Toni e Hilda se separarem. Ai, que tristeza. O maldito do Toni lá com a maldita da ex-mulher, e a pobre da Hilda sofrendo. Eu já tinha perdido a esperança.

Até que, outro dia, estou por acaso assistindo a novela, e meus sonhos se realizam: Hilda vai cantar no rádio e Toni fica desesperadamente se doendo em casa. O que poderia melhor? Claro: Toni enchendo a cara e uivando para quem quiser ouvir que precisa da Hilda de volta. Atingi meu êxtase novelístico. Isso, sofre fdp, mas sofre logo porque a novela está acabando e vocês precisam ficar juntos antes do final.

Depois disso, o desfecho estava traçado. O que não me fez menos babaca-imbecil-babona-chorosa quando o rapareco descobre que o pai da rapariga está no hospital e corre para lá, para depois levá-la até em casa e presenciar enquanto um terceiro (que surgiu na história do nada) corteja e moça, para coroar a minha vingança pessoal. Êxtase, êxtase, êxtase. O que mais eu poderia querer?

Só sei que agora perder os próximos capítulos dessa novela vai me doer muito mais.

Ai, que casal lindo :'(
Previous Post Next Post

You Might Also Like

3 Comments

  • Reply Thay 18 de março de 2014 at 08:54

    Não sou de assistir novela, mas sempre que por um milagre do destino estou em casa nesse horário, sento para acompanhar o capítulo com a minha mãe. E essa novela é muito bonitinha, e até do vilão eu me compadeço! E eu sempre pergunto pra minha mãe sobre o Toni e a Hilda, pq acho os dois lindos juntos (e a enorme diferença de estatura entre os dois só me faz achar isso mais fofo ainda!). Vi um pedacinho ontem (acho que foi ontem) e esse terceiro elemento estava lá – tbm não sei de onde ele surgiu. Mas é bom, assim Toni para de perder tempo com a ex e percebe que Hilda é o amor da vida dele (e que ele corte um dobrado para ser perdoado, humpft!)

  • Reply Nathy 19 de março de 2014 at 00:31

    Ah… eu também tenho esse problema no coração, então! Não sigo essa novela, então não posso comentar nada a respeito. Mas o fato de viver no mundo das fantasias, quando se trata de romance, essa sou eu! Ainda mais pq o que mais leio são livros de romance e por isso vivo nesse mundo. Queria tanto acreditar que existe amor de livros.. rs

    Beijos, Palominha! E vamos suspirar pelos casais lindos de livros, filmes e novelas!

  • Reply Dayane Pereira 21 de março de 2014 at 00:00

    Vc é uma romântica incurável, eu diria. rs

  • Leave a Reply