Pessoal

A gente é o que a gente pensa

Recebi essa mensagem pela primeira vez no dia de ontem quando estava lendo esse artigo na Revista Capitolina. A primeira conclusão que eu tirei dele (talvez influenciada pelA Teoria de Tudo) foi de que física teórica é uma coisa muito divertida que eu gostaria de estudar (é uma vontade antiga, quem me conhece sabe que eu sou fangirl de Einstein e companhia limitada). Então estava eu de noite, estudando algo que – infelizmente – não era física, quando o professor repete a frase, com todas as palavras. Pensamento é força, nós somos o que pensamos.

Sou muito cética quando o assunto é “coincidência”, e o próprio artigo que eu citei ali em cima já tinha cantado a pedra de que algumas coincidências não são mera coincidência (pelo menos de acordo com Jung). Concluí, então, que na pior das hipóteses o assunto merecia alguma reflexão.

Eu sempre sempre sempre, desde pequenininha, tive umas viagens muito loucas de tempos em tempos nas teorias de que tudo nessa vida poderia estar acontecendo dentro da minha cabeça, ou na cabeça de alguém muito maior do que eu que, na verdade, só estaria brincando de The Sims com a gente. É por isso que eu curto tanto a pira de Berkeley. O pensamento cria o mundo, o mundo é, na pior das hipóteses, moldado e influenciado pelos pensamentos.

Se essa ideia bizarra surgiu na minha cabecinha quando eu era pouco mais que um baby, não é surpreendente que outras irmãs dela também viessem. Eu atribuo a esse fenômeno (que vocês podem chamar de loucura, psicose, extravagância ou que bem entenderem) o fato de sem nem me dar conta, eu sempre invocar mentalmente – sem querer – tudo o que eu quero muito que aconteça. Eu tento intuir os dados (dados mesmo, aquelas coisas cúbicas com números) a darem o número que eu preciso, eu tento intuir quem quer que esteja do outro lado a não atender o telefone quando eu ligo (longa história), eu imploro para que a tela do meu celular não quebre enquanto ele voa da minha mão para o chão (o que acontece muito). E, algumas vezes, essas coisas acontecem. Eu até tenho um causo muito curioso para contar, mas então esse post ficaria muito logo.

É possível que meu lugar seja em uma clínica psiquiátrica, mas me reservo o direito de considerar que ontem o universo quis me lembrar de aplicar mais essa minha crença de infância de maneira consciente. Me dar um toque para o fato de que, quem sabe, ultimamente eu não esteja mentalizando o suficiente o fato de que eu sou importante, poderosa e que eu posso conseguir tudo aquilo que eu realmente quiser. Porque isso pode não fazer com que as coisas aconteçam espontaneamente e/ou se joguem no meu colo – nunca falei em milagre – mas me vai ajudar a chegar lá.

Mesmo que seja mesmo uma loucura e um absurdo, vocês podem pelo menos admitir que o nosso pensamento afeta diretamente a nossa postura diante do mundo. E isso, por si só, já não muda tudo?

Previous Post Next Post

You Might Also Like

5 Comments

  • Reply Ana Luísa 22 de janeiro de 2015 at 14:00

    Cá estou eu de novo, hehe. Então, miga, sobre essa história de que pensamentos atraem é aquela velha máxima do “não acredito em bruxas, mas que elas existem, existem”, né? Por isso mesmo quando eu tenho um pensamento ruim eu fico desesperada tentando me livrar dele, com medo de focar tanto na ideia e acabar atraindo. Deus o livre.
    E essa do the sims, HAHAHA, penso demais nisso! Principalmente quando levanto pra pegar/fazer alguma coisa e esqueço o que é, daí fico achando que meu ~controlador~ me marcou para algo e cancelou a ação, HAHAHAHA. Sdds the sims, tempo que não jogo.
    E adorei que você lembrou que mentalizar coisas boas é bacana. Quer elas realmente aconteçam ou não, ao menos pensar faz bem pra alma!
    Beijos, te amo!

  • Reply Brendha Cardoso 22 de janeiro de 2015 at 19:40

    Eu adorei tanto esse post e me identifiquei tanto com as tuas ideias que vou sair daqui um pouquinho mais feliz. Achei que tivesse sozinha nessa. Mas se tudo isso é uma grande pira então bate aqui e vamos nos internar juntas. Ou criar uma realidade paralela onde as coisas funcionem da nossa maneira. hahahaha Parei.

    De qualquer forma, sempre achei que os nossos pensamentos são muito importantes e podem alterar, sim, algumas coisas. Das mais simples (como o lance do dado e também a torcida frenética pela outra pessoa não atender ao telefone, não sei se pelos mesmos motivos que você, mas também torço por isso volta e meia) às mais complexas e malucas. Já li uma frase sobre ~imagine uma realidade e viva de acordo com ela~ e faz todo o sentido, porque como você finalizou brilhantemente no texto, o nosso pensamento rege nossa postura diante do mundo e isso sim é capaz de mudar tudo.

    Esses dias conversei horas e horas com uma amiga sobre esse lance da mente e como ela é poderosa e ouvi um Nerdcast sobre distúrbios psicológicos que, cara, me fez viajar muito nesses assuntos sobre a mente e como ela comanda tudo.

    Divaguei horrores, mas resumindo: amei o texto e vou voltar aqui com certeza.
    Você escreve muito bem!!!

  • Reply Carolli Márol 23 de janeiro de 2015 at 10:14

    Olá 🙂
    Eu acredito demais nisso, pra mim de fato nós somos o que pensamos e que podemos mudar a nossa vida conforme nossos posicionamentos e pensamentos. A lei da atração já me provou isso várias vezes. Eu por exemplo queria muito uma Pullip que já estava fora de estoque desde 2007, mas eu queria, e imaginava a doll em minha estante, imaginava as fotos que eu iria tirar dela e agia como se eu já tivesse a boneca na minha prateleira, dai uma noite resolvi postar no grupo de colecionadores de bonecas no FB, que eu estava procurando por uma Pullip Rida e que se alguém tivesse uma e tivesse afim de desapegar que pfvr me vendesse, no mesmo dia uma moça entrou em contato comigo me oferecendo a boneca por um preço absurdamente barato, pois essa doll é rara e ela poderia me vender por uns 800 conto mas consegui comprar por 300 e sem frete!
    Fora isso tenho o hábito de falar que vou conseguir conquistar tal coisa, e consigo, ou por exemplo, uma vez eu vi uma bolsa da Betty Boop que custava os olhos da cara, eu entrei na loja e falei que aquela bolsa seria minha, afirmei com convicção de que aquilo iria acontecer, uma semana depois passei na mesma loja e a bolsa que antes custava 150 tava de 22 reais!!! Levei HAHAHAHA
    Acredito que a questão não seja somente focar o pensamento em uma determinada coisa e carregar aquilo de vibrações positivas, é preciso se mover, pra que o universo conspire a nosso favor. Às vezes acontece de só desejar ser o suficiente mas parando pra pensar desejar já é uma ação.

    Vou falar que vou ganhar na mega e vou jogar pra vê se cola :p

    Beijos!

  • Reply Kamilla Barcelos 24 de janeiro de 2015 at 11:58

    Confesso que também nao acredito em coincidências. Acredito muito na frase que é titulo do texto: “A gente é o que a gente pensa”. É verdade. Acredito muito na força do pensamento também. Só não sou muita fã de física. haha

  • Reply Ana C. 28 de janeiro de 2015 at 23:00

    Acredito muito no lance da força do pensamento, de jogar energia positiva pro Universo pra ele te devolver coisas boas, conexão entre pessoas e tal. Nem sempre lembro de aplicar, mas super acredito. Coincidência é um troço estranho que eu acredito que não exista (e se existir, vai baldiar toda minha cabeça) e Física… não rola. Não por enquanto, pelo menos rs.

    Beijo, Palo <3

  • Leave a Reply