Pessoal

Algumas coisas nunca mudam (6/7)

Eu lembro da primeira vez em que aluguei “A Nova Cinderela” em DVD. Já faz quase dez anos, mas eu nunca vou esquecer que assisti o filme cinco vezes no mesmo fim de semana – sem brincadeira. Depois disso já perdi a conta de quantas vezes revi, antes e depois de comprar o DVD. Hoje estava em casa com meu irmão e bateu aquela vontade de ver de novo, depois de muito tempo.

O filme não tem nada demais, nada mesmo. É exatamente a história da Cinderela, mas em um cenário moderno e com a Hilary Duff absurdamente loira, mas eu ainda sinto a mesma coisa toda vez que eu assisto.

Adoro comédias românticas e não tenho a menor vergonha disso, me julguem. E adoro também filmes pré-adolescentes sem nenhum constrangimento.

Não tenho nenhuma ilusão de que eles me acrescentem alguma coisa, intelectualmente falando, e nem espero isso deles: tudo o que eu peço é uma historinha água-com-açúcar que toque meu coração e alegre meu dia. O que, sinceramente, é muito mais que muito filme cult por aí faz por mim.

Resumo da ópera: eu olho torto para quem olha torto para nós, amantes desse valoroso e estimado gênero cinematográfico. Quem não sabe se divertir com coisas simples está perdendo grande parte da graça da vida. Se você está nesse grupo, deixo bem claro que respeito você e seu gosto; e espero ser retribuída na mesma cortesia.

Filmes artísticos merecem ser valorizados? Sem dúvida. Aquelas tramas elaboradas e minuciosamente pensadas têm valor? Muito, nunca discuti isso. Mas a vida tem espaço para tudo, se a gente souber como organizar. E se isso fizer de mim mais burra, que seja; eu abraço a minha ignorância. Já estou com vontade de assistir o filme de novo.

Previous Post Next Post

You Might Also Like

3 Comments

  • Reply Milena M. 10 de agosto de 2013 at 01:46

    APOIADÍSSIMO!
    Essa galera cricri que acha um absurdo ver uma comédia romântica não sabe ser feliz. Há espaço pra tudo na vida, Palo, tá certíssima. É muito mais enriquecedor misturar várias formas de uma coisa do que se limitar a um gênero. Toda limitação é burra.
    Beijo!

  • Reply Emilie S. 10 de agosto de 2013 at 21:00

    Nah, você tem o direito de gostar do que quiser, boba. Ninguém vai sair julgando as pessoas. E, tem filmes que assisto dezenas de vezes também. A gente se apega.
    >>Emilie Escreve

  • Reply Rony Erisson 10 de agosto de 2013 at 22:02

    Apesar de não ser muito fã de comédias românticas, confesso que Hilary está extremamente linda (e loira), nesse filme.

  • Leave a Reply