Pessoal

Aquela preguiça que dá (7/7)

Geralmente as pessoas consideram que sábado à noite é o auge do final de semana. É o dia de sair, beber conversar e curtir a vida. Mas independente de eu fazer ou não alguma dessas coisas, o sentimento é sempre mais ou menos o mesmo: acabamos e cruzar o cabo da boa esperança, o fim de semana começa a chegar ao fim.

Isso porque domingo para mim sempre foi e sempre será um dia preguiçoso, quase inexistente, espremido entre a sensação de liberdade do sábado e a opressão suprema da segunda-feira. Ou seja, quando o sábado acaba, você se sente em um final de festa decadente, no qual todas as pessoas interessantes já se foram e só restam os bêbados se arrastando pela pista de dança ou jogados em um canto obscuro.

Foi nesse clima que eu quase abandonei o projeto “7 dias 7 crônicas” aos quarenta e cinco minutos do segundo tempo. Depois que as amigas se foram e o sono ameaçou seriamente me derrubar de vez, só mesmo a garra e a vontade concluir esse compromisso me fizeram abrir os olhos e me arrastar até aqui, nem que fosse apenas para comemorar o sucesso da empreitada e dizer até logo.

Eu sou e sempre fui a rainha da preguiça, mas sei que não poderia controlar a minha frustração se deixasse esse defeito me impedir de alcançar um objetivo que, no fim das contas, não requereria tanto esforço assim.

Tenho planos inacabados o suficiente. Uma bagagem enorme e pesadíssima para retardar meu passo e me assombrar durante as noites insones. E a cada dia minha intolerância ao fracasso aumenta. Compromisso, essa tem que ser a palavra de ordem. Uma promessa a mim mesma não vale menos que uma promessa a outra pessoa. Projetos inacabados são um desperdício de esforço e energia; é hora de começar a me mover e terminar o que eu começo – mesmo que o resultado não seja o esperado.

Sucesso é relativo, mas desistir não se enquadra nesse conceito. Eu preciso crescer, compreender essa ideia, interiorizar esse pensamento e seguir em frente, ainda que aos tropeços. Não gosto de gente fraca e não vou ser fraca. Vou seguindo, sempre em frente, um passinho de cada vez, até o fim. E de fim em fim a gente chega a algum lugar.

E agora, partiu cama.

Previous Post Next Post

You Might Also Like

3 Comments

  • Reply Mayra 11 de agosto de 2013 at 16:02

    Também fiquei muito feliz comigo mesma por ter conseguido cumprir esse desafio! Nunca consigo cumprir essa coisa de postar mil vezes em mil dias, mas dessa vez eu fui capaz e é tão bom quando nós, pessoas desistentes e preguiçosas, conseguimos cumprir algo. Mesmo que seja simples e banal como um desafio de escrita em nosso próprio blog! É uma grande vitória e eu acho que a gente merece um domingo inteiro de descanso e felicidade só por termos dado conta!
    Abraços <3

  • Reply Aline Netto 11 de agosto de 2013 at 17:09

    Lindo seu blog!

    Bjs
    Aline
    http://www.devaneiosdemadrugada.com.br/

  • Reply Alessandra Rocha 12 de agosto de 2013 at 18:16

    HAHAHAHAHAHAHAHHA ai PALO! Super entendo seu drama! Acho que ano passado também me fiz um desafio de x posts em x dias e foi um sacrifício pra terminar, a unica coisa que me motivou a ir até o final mesmo foi não ter que pensar no desgosto que seria não ter chegado ao fim, mas você escreve tão bem que a gente ama qualquer coisinha que aparecer aqui :3

    beijos flor!

  • Leave a Reply