Pessoal

Aquela velha melancolia

Talvez seja por causa do avançado da hora e eu esteja com sono demais. Talvez não seja. A grande questão que me atormenta é a grande questão da humanidade. A questão em que todos já pensaram, e que uns poucos privilegiados solucionaram.
Nesse princípio de madrugada, duas almas solitárias vagam pela internet. Duas pessoas iguais, tentando se consolar de suas posições apáticas iguais sobre questões iguais.
Eu queria ser escritora. Não sei desde quando, então para mim já é desde sempre. Poucas coisas me deixam tão à vontade ou me fazem sentir tão bem. Ah, que paraíso seria se eu pudesse fazer isso da vida. Só isso, mais nada. Mas então não seria o mundo real, e eu não estaria vivendo a vida real. Seria mais um sonho, como aqueles que eu crio e recrio todos os dias da minha vida. São filmes que se passam dentro da minha cabeça de coisas que nunca vão acontecer.
Eu tive um momento de epifania. Meus sonhos são todos ilusões inalcansáveis. Eu não nasci com a capacidade de ser realista, e só agora eu posso enchergar o que devia ser claro desde o princípio. Eu nunca vou ser escritora. Não importe o quanto eu fale, fatos são fatos. No meu mundo perfeito, as palavras teriam mais poder, mas é o mundo real. Nesse mundo cruel, menininhas sonhadoras não viram grandes escritoras. E ponto final.

Texto postado originalmente no WordPress.

Previous Post Next Post

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply