Pessoal

Bonequinha de Luxo

Folheando o meu xodó (o livro que eu pedi e ganhei de Natal), olhando para a minha coleção de DVDs, às vezes eu paro para pensar o quanto eu admiro essa mulher. Essa pessoa que tinha o sonho de ser bailarina, mas não desistiu da vida porque era muito alta. Ela que fez vários filmes tão lindos, mas sempre priorizou a família, que sabia o que era importante, que fazia o que bem entendia, e que ajudou tanto os outros. Essa criatura que a maioria hoje não faz a menor idéia de quem seja, da grandeza, do estilo, de tudo que ela ainda representa para quem conhece. Acho que se eu me inspiro em alguém famoso, se eu tenho um ídolo de verdade, só pode ser ela. Audrey Hepburn, que passou por suas difículdades, lutou pelo que queria até ter certeza de que aquilo não era para ela, que se dedicou aos filhos mais que tudo, para depois poder dedicar-se às crianças do mundo que precisavam dela, que precisavam de alguém que lutasse por elas, que mesmo sentindo dor não parou de ajudar até três meses antes de ser levada embora. Essa é definitivamente a mulher que eu admiro, e hoje em dia faltam pessoas como ela. Além de ser para sempre modelo de estilo graça e beleza, ela também tinha uma alma brilhante. E meu blog nunca seria completo sem ela aqui, apesar de ela estar sempre aqui, como todos aqueles que eu admiro e que me influenciaram de alguma maneira, desde meus professores, pais, amigos, escritores, músicos, atores, todo mundo, porque querendo ou não eles são uma parte de mim, e eu não estaria aqui hoje, não do jeito que sou, se não fosse por todos eles. Todos os exemplos que nós tivemos, assim como as situações que passamos ou as coisas que aprendemos fazem parte de quem somos hoje, e estão sempre ali, como tatuagens invisíveis. 
Texto postado originalmente no Uol blog.
Previous Post Next Post

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply