Pessoal

Brincar faz bem

Estou de férias e é sábado. O que diferencia o sábado de um dia de semana quando se está de férias? Acho que nada, tirando que meus pais também estão em casa. Tecnicamente quando se está de férias todos os dias são fim-de-semana, ou nenhum é. Essa parte é irrelevante. Mas porque o sábado ainda parece um dia diferente? Será que é costume? É mais calmo, eu não tenho que esquentar o almoço, não fico sozinha em casa. Geralmente nem fico em casa. Mas aí não precisa ser sábado, basta ser um feriado ou algo assim. Um dia eu descubro o mistério dos sábados.

Amanhã tem prova dasegunda fase da UERJ. Não estou nervosa, não estou com medo, é simplesmente irrelevante. Sinceramente passar ou não não faz diferença pra mim, não esse ano. Podem pensar que eu sou maluca, e eu realmente sou, provas não me deixam nervosa, principalmente quando não tá valendo nada. Eu tô no segundo ano ainda, é só esperiência. Será que ano que vem nessa época eu vou tá comendo os dedos? O que será que vai mudar desse ano para exatamente daqui a 365 dias? Provalvemente vou tá uma pilha, mas que nervos resistem a um ano de cara enfiada nos livros no mínimo 85% do tempo e pressão de todos os lados.

Eu sou uma pessoa excencialmente calma, isso também me preocupa. Não sei estudar, não lembro como se faz, decidi párar com isso quatro anos atrás e agora de repente vou ter que pegar o rítimo de novo, não vão ser só as provinhas ridículas da escola, agora é pra valer, elas vão definir alguma coisa de verdade. Ai, que triste, parece que a sociedade está entrando na minha cabeça. Meu maior medo não é não passar e decepcionar todo mundo, ou as pessoas me olharem com desdém ou algo assim, o medo é de me matar o ano todo e não conseguir. Não simplesmente pelo fato de não conseguir, mas de ter que fazer tudo de novo. Muita pressão pruma cabeça nova demais, não é?

Texto originalmente postado no Uol blog.

Previous Post Next Post

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply