Pessoal

Coisas da vida

Eu admiro muitas e muitas pessoas por aí. A maioria é gente de carne e osso. Gente como eu, normal. Muitas delas estão por aí no mundo blogueiro.
Todos estamos aqui por amor. A maioria de nós não recebe nada. É só a amizade que construímos e a compulsão pelas letrinhas que nos prendem aqui. E isso é o suficiente. Nossa única pretensão é escrever. Ou pelo menos a gente se contenta com isso por enquanto.
Acontece que, de vez em quando, eu me deparo com talentos. Talentos de verdade perdidos por esse mundo de anônimos. É aí que surge a admiração de que eu estava falando. E é aí que, paradoxalmente, bate aquela sensação de que eu nunca vou alcançar o que eu quero.
Eu sinto que, para realizar os meus sonhos, preciso ser a melhor. E eu não me engano, sei que não sou. É nessas horas que sai aquele suspiro longo vindo do fundo do peito. Aquele suspiro de frustração. Pode parecer inveja, mas eu juro que não é. Eu tento aprender com essas pessoas. Aproveitar esses talentos que surgem na minha vida aparentemente saídos do nada.

Às vezes eu simplesmente sinto que nunca serei boa o suficiente.

Previous Post Next Post

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply