Pessoal

Contos de fadas

Eu, brasileira? Nunca me imaginei dessa forma. Também nunca me imaginei sentada na hora do recreio em frente a um radinho pra ouvir um jogo de futebol. Mas às vezes coisas que você nunca imaginou acontecem. Talvez eu simplesmente tenha parado de negar uma coisa que é simplesmente verdadeira e imutável. Eu nasci no Brasil, não nasci? Então eu sou brasileira, e talvez eu goste disso, talvez eu seja capaz de gostar de eu me esforçar um pouco. Não que eu não inveje o padrão de vida e as condições dos lugares nos quais eu sempre quis ter nascido. Não que eu queira menos viajar e conhecer o mundo. Mas talvez aqui eu seja algo a mais que mais um imigrante que sofre preconceito e tem pouquissimas chances de ser reconhecido por algo. Não que eu vá ser importante ou entrar nos livros de história, mas aqui pelo menos eu não vou ser mais um fugitivo, eu vou ter ficado no meu país, por piores que as coisas estejam e por tanto tempo quanto elas fiquem assim, talvez eu possa fazer algo por alguém um dia, que faça valer a pena toda uma vida num país ainda cheio de problemas. Talvez se eu for capaz de só pôr na cabeça dos meus filhos algo que vá ser importante, e que eles possam fazer alguma algo de bom com isso, então eu já esteja fazendo algo. Eu sei que eu não nasci pra passar a vida fazendo nada. Só não sei exatamente ainda o que eu tenho que fazer. Talvez eu nunca consiga descobrir, talvez eu faça sem nem mesmo saber, talvez esteja fazendo algo agora mesmo. Mas eu descobri uma coisa. Eu sou brasileira, não sou?

Texto originalmente postado no Uol blog.

Previous Post Next Post

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply