Pessoal

Da boca pra fora não vale!

Na falta do que dizer, por que não eu te amo? Aparentemente é assim que se pensa hoje em dia. Não importa a quanto tempo se conhece alguém, não importa se for por impolgação ou por puro sentimento, o eu te amo está na boca do povo. Eu vivo nesse tempo, e ainda assim me assustei uma vez ao ouvir um eu te amo no primeiro encontro. Será que isso tá certo?

A impulsividade é marca característica do jovem de qualquer tempo, e no nosso isso acabou isso acabou em um “excesso de amor”. Todos nós crescemos cercados de filmes românticos e contos de fadas, com isso somos levados a acreditar que conhecemos o amor como niguém, que temos todo o direito de dizer eu te amo sem pensar nas consequências. O que acontece, todavia é que poucos de nós conhecemos o amor de verdade. A maioria dos adeptos dessa nova moda é jovem demais para ter experimentado ou entender o amor razoavelmente, e acaba confundindo esse sentimento com afinidade ou atração. É algo do tipo: “Você gosta de chocolate? Nossa, eu também. Que perfeito! Cara, eu te amo!”
“Pensa, antes de falar. Senão acaba falando besteira”. Isso é o que minha mãe sempre diz, e é o que parece estar faltando. Antes de nos entregarmos de olhos fechados e nos jogarmos nos braços de alguém que nós mal conhecemos com juras de amor eterno seria muito benéfico pôrmos a mão na consciência e pensarmos se não é só impolgação do momento. Será que todas as vezes vale mesmo a pena gastar e poer uma frasezinha tão bonita com alguém que pode não estar ali no segundo seguinte? A paixão pode ser instantânea, mas o amor vem aos poucos. Que tal fazer um pequeno exercício mental e colocar o cérebro para funcionar antes de abrir a boca? Ninguém nunca morreu disso.
Obrigada pela atenção, foi muito importante para mim. Você está alegrando o meu dia, mas NÃO, eu não te amo.

Texto postado originalmente no WordPress.
Previous Post Next Post

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply