Pessoal

Diário da mudança – Parte 1: A decisão

mudanca1

Talvez assuste alguns o fato de que eu parecia estar tão animada e certa da minha mudança e de repente, sem mais nem menos, vir aqui confessar que fiquei em dúvida. Mas fiquei. O que aconteceu foi que um dia eu estava perfeitamente bem e no outro eu estava em (mais uma) crise chorando no banheiro do trabalho porque minha-vida-é-uma-merda-tá-tudo-errado-blá-blá-blá.

Em outros tempos, eu teria sofrido e chorado no banheiro sozinha sem ninguém saber, mas no momento eu ando dividindo minhas dores com um grupo seleto de pessoas pré-selecionadas. E uma delas me sugeriu que fazer intercâmbio de au pair seria uma ideia bacana (e seria mesmo).

Foi aí que pintou a dúvida, porque sem mais nem menos minha vida pareceu pequena, apertada e o que eu mais queria era largar tudo e sair correndo para viver alguma aventura agora, por favor. E eu percebi que nada me impedia de fazer isso (post sobre isso vem mais tarde, aguardem).

Acontece que eu sou uma pessoa muito dramática e impulsiva, mas também muito responsável. Eu não podia alugar um apartamento e levar minhas tralhinhas, se eu estava realmente considerando sumir na poeira em um ano e deixar minha amiga-e-futura-colega-de-apê na mão. A ideia de ter que decidir isso agora (quando eu ainda estou em crise) era quase impossível, mas o mundo não para porque eu estou em crise e uma decisão era necessária agora.

Então, depois de muito pensar, me torturar e gastar meu cérebro até a exaustão, eu simplesmente decidi. Como quem decide qual sapato comprar (tirando que até essa escolha é complicada pra mim, às vezes). Como quem decide entre casar e comprar uma bicicleta. Porque todas as variáveis e listas de prós/contras já tinham sido feitas, e no fim das contas tudo o que me restava era decidir.

Foi assim que eu decidi. Decidi parar de me martirizar e, sem saber exatamente o que estava fazendo, eu apenas mandei um whatsapp para a minha amiga avisando que vamos nos mudar. E ela, que estava tentando se fazer de relaxada, ficou muito feliz com a notícia.

Então eu vou me mudar. Fato incontestável. O próximo passo é achar um apartamento, mas se vocês me perguntarem o que estarei fazendo nos próximos trinta meses, eu já tenho uma resposta: estarei aprendendo a cuidar do meu nariz.

Aguardem notícias.

Imagem original via.

Previous Post Next Post

You Might Also Like

8 Comments

  • Reply Alessandra Rocha 28 de fevereiro de 2015 at 01:50

    PALOMINHA QUE COISA LINDA E MARAVILHOSA E CORAJOSA QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO!
    Olha eu “”””””morei””””””” sozinha quando fui pra Irlanda com a minha irmã e mais me estrepei do que qualquer outra coisa, mas foi um momento de aprendizado e amadurecimento GIGANTE pra mim e acho que hoje em dia se fosse pra morar sozinha eu definitivamente me sairia bem melhor, até porque responsabilidade nunca foi meu forte… Mas a ocasião faz o ladrão né? Só posso te desejar a melhor sorte nessa caça de um apê, porque não é fácil, não mesmo! Mas esse sentimento de mudança e de não ter mais mamãe e papai pra segurar as dores de barriga é incrível e AI <3 To animada por ti! Hhahahaha

    Por favor não deixe de compartilhar isso aqui no blog também! Morro de vontade de saber como você e as outras meninas andam, mas eu simplesmente >não sei< manter uma conversa online!

    Um beijo!

  • Reply Ana Luísa Bussular 28 de fevereiro de 2015 at 23:32

    Gostaria de saber onde eu estava na ordem do mundo para ficar sabendo de uma notícia dessas PELO BLOG, como qualquer mero mortal (hehe).
    Claro que eu já sabia que cê tava doida pra se mudar, mas daí a ter passado pela ideia de ser au pair fora do Brasil e enfim estar concretizando de outra maneira, achei tudo muito novidade! Já desejo toda a sorte do mundo e quero visitar sua casa nova e deixar minhas marcas por lá também. E pegar intimidade de novo né, que hoje em dia, cê sabe, é só quando o celular conecta sozinho no wifi de alguém. <3
    Te amo!

  • Reply Dayane 28 de fevereiro de 2015 at 23:44

    Esse é um passo importante, sem dúvidas. Cuidar do próprio nariz e ser mais independente é ótimo. Eu tmbém pensei em ser au pair, mas seria pra Holanda, porém pensei melhor e nãoo, não é pra mim.

  • Reply Carol Rodrigues 1 de março de 2015 at 20:47

    Apesar de ser por um motivo diferente, estou passando mais ou menos pela mesma coisa. Me mudei hoje para onde vou estudar e estou me deparando com dilemas que devem ser coisas totalmente óbvias para algumas pessoas, mas para mim são verdadeiros mistérios (leia-se: como fazer uma feira, como organizar uma geladeira etc etc hahaha). Enfim, eu não tive escolha se morava sozinha ou não, mas você teve e decidiu se mudar mesmo assim, o que eu acho sensacional. Desejo muuuita boa sorte e sucesso na aventura!

    Beijo!

  • Reply Deyse 2 de março de 2015 at 10:27

    Gostaria de saber onde eu estava na ordem do mundo para ficar sabendo de uma notícia dessas PELO BLOG, como qualquer mero mortal (hehe). -2 hahahaha

    Amiga, que notícia GRANDE! Esse post já até foi substituído por outro, mas eu achei necessário comentar, sabe? Porque é algo ENORME. Acho que o fato de a gente ter formado praticamente juntas nos coloca num estágio da vida muito semelhante e, meu Deus, como eu entendo todos os seus anseios e medos e vontades, mesmo que não saiba profundamente sobre eles. Por que são iguais ao meus, sabe? Porque essa ideia de se mudar e ser dona do meu nariz e fazer algo com o diploma que eu tenho vem rondado a minha cabeça como um caçador espreitando a presa. Acho muita coragem tua e acho sim que você deve apostar em alguma coisa, mesmo pareça impulsivo (”Acontece que eu sou uma pessoa muito dramática e impulsiva, mas também muito responsável” – eu). A gente não pode deixar nosso lado responsável nos frear na vida, amiga. Às vezes, o que é impulso e o que é certo simplesmente se confundem. Espero que esse seja o caso. Tô torcendo muito pelos teus planos e espero poder compartilhar essa sua nova fase – inclusive, também me convido desde já pra deixar minha marquinha no novo apê haha. Beijo <3

  • Reply Lilian Lima dos Santos 9 de março de 2015 at 19:35

    Gostaria de saber onde eu estava na ordem do mundo para ficar sabendo de uma notícia dessas PELO BLOG, como qualquer mero mortal – 3 membros!

    Palominha que orgulho de você! Acho muito corajoso da sua parte tomar essa decisão e torço para que tudo corra perfeitamente bem e que você se encontre, e que não chore mais no banheiro pfvr!!!

    Boa sorte amada! <3

  • Reply Sobre não ter nada (a perder) ◂ Vizinha da Capitu 20 de março de 2015 at 23:07

    […] obviamente não me livrou de crises (como aquela que eu mencionei aqui) sobre a vida como ela é e como “deveria ser”. Não ter planos a longo prazo […]

  • Reply Diário da mudança – Parte 2: a loucura começou cedo ◂ Vizinha da Capitu 27 de março de 2015 at 12:14

    […] Então eu decidi me mudar, e a partir daí tudo virou um grande borrão na minha vida. Tudo porque eu levei uma infinidade de tempo pra resolver minha vida na minha cabeça, o que me deixou com pouquíssimo tempo pra resolver minha vida na prática. […]

  • Leave a Reply