Pessoal

E agora?

Mal posso acreditar que já faz mais de uma semana, e eu nem comentei nada aqui. Eu preciso escrever sobre isso, para evitar que eu esqueça. Porque aqui, além de dividir com vocês, eu também estou mantendo isso registrado, marcando um ponto na história pra que eu possa me lembrar sempre daquele dia, e mesmo que eu não me explique direito, eu vou ser levada de volta àqueles momentos e vou lembrar exatamente de como eu me senti.
Foi o show, o show que eu esperava já há um tempo, o show que me deu tanta agonia porque só foi confirmado oficialmente um mês antes da data. Que fez meu coração quase sair pela boca quando eu estava apenas comprando o ingresso, o número 0039! Aquilo para que eu fiquei um mês fazendo contagem regressiva, acordei às três e meia da manhã me sentindo a pessoa mais feliz do mundo, passei meu dia inteiro sob o sol que resolveu que queria sacanear o monte de adolescentes malucos que resolveram desafiá-lo pelo motivo mais besta do mundo, mas que depois fez tudo aquilo valer a pena. Aqueles momentos inesquecíveis pelos quais eu fiquei em pé desde três horas da tarde até a uma da manhã, fiquei asfixiada no meio de centenas de pessoas porque os queridos responsáveis pelo show amontoaram-nos todos de qualquer jeito dentro de grades. Aqueles momentos pelos quais eu recobrei toda a energia do mundo para ficar em pé, pulando, gritando e me sacudindo durante mais duas horas. Mas tudo valeu a pena.
Eu senti aquela energia, eu participei daquilo, eu vi aquelas pessoas de perto, eu quase podia tocá-los. Eu fiquei vários dias triste quando acabou, eu apertava meu braço roxo e dolorido por causa da grade só para poder acreditar que aquilo realmente tinha acontecido, que não era mais um sonho como os vários que eu já tinha tido . Simplesmente não dava para acreditar que tinha sido real, que eles esticaram a turnê pra incluir nosso querido paíszinho excluído do mundo. Mas aconteceu. Por mais que minha racionalidade negue, os fatos comprovam: aconteceu de verdade.
Teve sim a parte desapontante, a total e comprovada falta de organização por parte da casa de show Vivo Rio, no aterro do Flamengo, e dos organizadores do show. Por conta disso houve vários problemas na fila, que no fim foi organizada por algumas pessoas que estavam na própria fila. E a falta de preparo mais que completa dos seguranças para tratarem com o público, principalmente sendo esse público adolescente. Mas a pior parte foi com certeza a queda da grade de segurança que separa o palco da pista. Bem, quase queda, para falar a verdade. Algumas pessoas chegaram a machucar o pé por causa disso, e se ela tivesse realmente caído… digamos que eu e várias outras pessoas viraríamos história. Tudo mais que suficiente para deixar todos indignados, mas não para estragar completamente a festa de quem estava lá e teve a oportunidade de sentir e participar de tudo aquilo. Sonhos são sonhos, ficamos felizes depois de tudo. Mas Vivo rio, nunca mais (espero eu).
Mudando o assunto, só para aproveitar (mais ainda) o post, vou divulgar um blog novo meu em parceria com um amigo. Vai ser um blog de informações e dicas, de músicas, filmes, shows, atualidades e esse tipo de coisas: Our life, our music. Recém saído do forno, primeiro post acontecendo ainda hoje, depois do jogo do flamengo. Acredito que vai valer a pena conferir.
Texto postado originalmente no Uol blog.
Previous Post Next Post

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply