Pessoal

E nos últimos momentos de liberdade…

Well well well. Enfim as férias estão acabando. Já não era sem tempo. Minha vida daqui pra frente tá promentendo ser mais caótica do que já tem sido esse ano. Prevendo isso, já dá pra saber que provavelmente vou ficar mais um tempo sumida, então porque não me despedir direito dessa vez, e aproveitar pra fazer os memes legais que me indicaram?
O primeiro foi indicado pela Tatá. Vou por primeiro as regras, e depois o meme em si, okay?
Regras:
1º Linkar quem indicou o meme e, se possível, no conto também ^^
2º Criar uma narração curta, de poucas linhas, contento os nomes (traduzidos e com link) dos blogs que mais gosta para repassar este meme.
3º Se quiser, coloque na sidebar dentro de uma caixinha.
Todas as melhores histórias que eu ouvi na infância começavam com era uma vez. Era uma vez, então, uma Boneca Cibernética, que era conhecida pelos outros brinquedos como Princesa do Tédio. Não mais bonita ou moderna que nenhuma outra boneca da pratileira, mas peculiar, de seu próprio jeito. Só porque ela tinha uma passatempo pouco comum. Ela gostava inventar histórias e distribuir palavras de um presente bom. Não há como não gostar de gente (ou bonecas) otimistas, então não era difícil para ela virar rapidamente a boneca mais querida de quem se aproximasse. Apesar dela mesma nunca ter se afeiçoado de verdade a nenhuma das menininhas que entravam pela porta da loja na qual ela vivia. E por isso ela continuava por lá.
Tudo continuava normal e corriqueiro até que finalmente chegou o dia que ela esperava. O dia com o qual sonhou por muito tempo. Entrou na loja uma meninas Uma menina que também dividia o mesmo passatempo. Uma menina em quem ela encontrou companhia, ajuda e apoio durante suas inspirações súbitas. A sua alma gêmea em todos os sentidos. E pelos restos dos dias elas ficaram juntas. Claro que enquanro a menina crescia ela teve que se acostumar com algumas coisas e ocupar espaços diferentes na vida dela, mas ainda assim era amigas, impossível de se mudar isso. E nenhuma delas nunca vai esquecer que foi a boneca a primeira a ouvir e ficar feliz pelo primeiro amor da menina, e seu primeiro beijo de morango.
Ah, sim! E elas viveram felizes para sempre, de verdade.
Todos que quiserem azer, sintam-se indicados, principalmente os que foram citados. Eu gosto de muuuuito mais blogs que eu pus aí, mas não consegui encaixar, e a estória ia acabar ficando grande demais, então me desculpem.
O segundo meme foi da Sofia. Gostei muito mesmo, tocou num ponto fraco! E eu também não vou repassar especificamente pra ninguém, ou melhor, pra todos que quiserem, porque a maioria das colegas de blog que eu sei que lêem já fizeram, então vou deixar em aberto.
Livro de Infância: “Cinderela”, “O Flautista Mágico” e outros clássicos; “O Patinho Feio”; “O Pequeno Príncipe” de Antoine de Saint-Exupèry; e “A colcha de retalhos”, Conceil Corrêa da Silva.


Personagem que queria ser: Anne Elliot, de “Persuasão” – Jane Austen.

Primeiro livro enorme que lembra de ter lido: “Um diário no tempo”.
Filme que ficou melhor do que o livro: Ainda não consegui achar isso…
Livro que te fez sonhar acordada (o): “Jane Eyre”, Charlotte Brontë
Livro que te fez chorar:”A Menina Que Roubava Livros” – Marcus Zusak, “A Cidade do Sol” e “O Caçador de Pipas” – Khaled Hosseini, “A Elegância do Ouriço” -Muriel Barbery.
Livro que te fez rir: Cara, eu só sei que cherei porque o meu rosto foca molhado, eu me concentro demais pra saber disso. Livro cômico mesmo não lembro de nenhum.
Livro que mudou a sua vida: Todos. Se um livro não te fez pensar e, consequentemente, mudou algo em você, então ele foi uma perda total de tempo.
Livro que te causou dor: “Pollyanna”, Eleanor H. Porter; “A Hora da Estrela”, Clarice Lispector; “A Chave de Sarah”, Tatiana de Rosnay; “O Menino do Pijama Listrado”, John Boyne.
Livro de cabeceira: “Orgulho e Preconceito”, Jane Austen.
Livro comercialzão: “Crepúsculo”, Stephanie Meyer e “Harry Potter”, J.K. Rowlling (não que eu não tenha lido ambos)
Querido escritor: Jane Austen.
Sente vergonha por não ter lido: Tudo que eu ainda não li. Não tem jeito, eu vou morrer frustrada.
Não suporta: Posso pensar? Difícil.
Para os apaixonados: “Jane Eyre”, Charlotte Brontë again.
Livro sensual: “Os Sete Minutos”, Irving Wallace.
Para quando quiser ficar feliz: Não sei o que responder nessa, se eu conseguir pensar em algo eu volto.
Para quando faltar esperança: “Pollyanna”, Eleanor H. Porter.
Livro que ganhou e nunca leu e nem vai ler: Prefiro não dizer nunca, principalmente pra livros.
Para quando for preciso paciência: “Eu sou o mensageiro” – Marcus Zusak
Livro que comprou e nunca leu: Sou compradora compulsiva, tenho muuuuitos livros na fila ainda.
Biografia: “Heavier than heaven”, Charlies R. Cross, “The Audrey Hepburn Treasures”, Ellen Erwin e Jessica Z. Diamond.
Para garotas: “Poderosa” – Sérgio Klein, e todos os da Jane Austen pra mim são menininhas (por favor, isso tá longe de ser um comentário pejorativo).
Difícil: Impossible is nothing q. Geralmente, romances são mais fáceis e fluentes.
Para quem gosta de escrever: Quem gosta de escrever não pode ter limites, certo?
Leitura de teatro: Shakespeare; “O Santo Inquérito”, Dias Gomes.
Conto gostoso de ler: Me pegou.
Não conseguiu terminar: “A sombra do vento”, Caros Ruiz Zanion, mas planejo tentar de novo.
Está na fila: “O Morro dos Ventos Uivantes”, Emily Brontë (pela segunda vez); “Tess of the D’Urbervilles”, Thomas Hardy (desculpa, não sei o nome em português); terminar “O Mundo de Sofia”… É melhor parar por aqui, vocês não querem mesmo saber a fila toda.
Livro que daria de presente: Muito relativo, depende da pessoa.
Pérola encontrada nos sebos: Não iniciei minha vida sebácea(?) ainda.
O que está lendo agora: “Jane Eyre”.
Enfim, é isso. Muito obrigada mesmo às duas por terem lembrado de mim, eu amei os dois memes. Eespero que não tenha cansado demais a paciência de vocês.
Texto postado originalmente no WordPress.
Previous Post Next Post

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply