Pessoal

Gente chata

Perdão a Tary pelo empréstimo do título, mas não tinha nenhum outro no mundo que descrevesse melhor o que eu quero falar aqui agora.

Todo mundo já enfrentou fila uma vez na vida, não tentem me convencer do contrário. Pode ter sido a fila da cantina da escola, a fila do ônibus, a do banco, supermercado… Mas uma coisa todas elas têm em comum: gente chata. É incrível como parece que algumas pessoas passam o dia inteiro procurando uma fila só pra poder reclamar.

Não faz muito tempo, fui obrigada a ir ao banco pagar minha inscrição em um concurso. Era um banco conhecido por ser cheio, então decidi ir logo na hora de abrir. Acabei chegando alguns minutos antes, e encontrei a fila já formada na beira do caixa. Entrei e esperei. Obviamente, não demorou muito pra aparecer um chato, uma senhora, que encontrou um companheiro em um carteiro e lá ficaram os dois, reclamando da vida. “Se não vai atender, pra que abrir mais cedo?”. Quando ouvi isso, quase me manifestei, sorte deles que eu sou da paz. Agora, me respondam: se os funcionários não tivessem feito a gentileza de abrir a agência, eles não estariam esperando no ar condicionado e abrigados do sol, que direito têm essas pessoas de reclamar? Mas pra bom reclamador, um copo pela metade é um copo meio vazio.

Ontem tive outra provinha do azedume alheio. Depois de cruzar o Centro da Cidade de ponta a ponta e dar com a cara na porta, fui pegar o ônibus e dei de cara com uma fila. Não sei que bênção baixou em mim naquele momento, mas eu estava em um dia zen, entrei na fila e esperei pacientemente, feliz pelo fato de que, pelas minhas contas, eu ia conseguir sentar. Mas alegria de pobre dura pouco, e veio se prostrar bem atrás de mim uma senhora (pois é, quase sempre as senhoras) e se pôs a reclamar da vida. Quase pior que essas pessoas, é quem dá bola pra elas, juro, mas nesse caso os dois senhores que estavam atrás pelo menos me pouparam de ter que fingir educação, quando eu só queria mandar ela calar a boca.

Minha reação a essa gente varia muito de acordo com o meu humor: em dias como ontem, eu olho pro chão, fico imóvel e finjo que sou surda; mas em dias bons eu sorrio e aceno com a cabeça. Em dias anormais, eu até arrisco um “pois é, menina”. Mas, vamos combinar, esse comportamento é uma coisa altamente desagradável. Algumas pessoas deviam aprender que o ouvido dos outros não é penico, e que gente que reclama o tempo todo no ouvido de estranhos é desagradável e altamente deselegante.

Um dia, quando estiver indo pra uma fila, juro pra vocês, vou pintar um cartaz rosa fluorescente com a frase “a vida é bela, vá ler um livro”. Não dá pra fugir de fila, ela está em todo lugar e tem que ser respeitada, então ouçam meu apela, gente: não façamos disso uma coisa ainda mais desagradável.

Previous Post Next Post

You Might Also Like

5 Comments

  • Reply Mariana 11 de abril de 2012 at 16:00

    Tem um episódio de Supernatural que o Crowley (novo diabo) transformou o inferno em uma fila infinita. Não há como discordar de que essa é a pior forma de tortura.
    ODEIO as pessoas que vem contar a história da vida em filas. Falar do clima pra passar tempo ou comentar alguma coisinha (sei lá, sobre roupa) ou puxar papo em geral, até vai (por mais que eu não seja fã disso). Mas pra falar mal da vida e fica reclamando? Vade reto, gente chata!

  • Reply Gabriela, 11 de abril de 2012 at 16:07

    Sabe, tenho encontrado um bocado de gente chata por aí, mas não tenho mais paciência. Não falo nada, simplesmente viro a cara. Não sou obrigada a ficar ouvindo mimimi alheio. Ninguém é.
    Mas olha, eu peço a Deus que não me deixe ser uma senhora que reclama com desconhecidos nas filas, porque isso é a coisa mais desagradável do mundo. Isso e elas entrarem na sua frente na fila do ônibus. 🙁 haha
    Beijo!

  • Reply Ana Luísa 11 de abril de 2012 at 16:19

    Pior é quando os reclamentos de fila acham uma trupe toda pra reclamar juntos e começam praticamente um motim de grosserias com os funcionários, do tipo: PORQUE ESSA P**A NÃO ANDA? Sabe assim? Eu morro de vergonha alheia.

  • Reply del 11 de abril de 2012 at 16:29

    “Mas pra bom reclamador, um copo pela metade é um copo meio vazio.” – aplaudi!

    Paulistano falando de fila é maré cheia! Aqui tem fila até pra comprar pão. E sendo sincera, mas sem querer parecer preconceituosa, na maioria dos casos são os aposentados que reclamam. Os velhinhos, idosos, como queira chamá-los. É questão de observar: sempre eles que começam. Não sei o que acontece com essas pessoas. Não quero generalizar tão pouco deixar de lado os ‘jovenzinhos’ que também reclamam pelos cotovelos! Gente da minha idade, que sabe como as coisas funcionam e que não mudam como uma simples reclamação ao vento.

    E se quer saber, inventaram as ouvidorias pra isso. E só pra isso! Se tá tão ruim assim, deixa o ouvido dos outros em paz e escreve uma cartinha ou um email pra quem é pago pra ouvir essas merdas 🙂

  • Reply Larissa L. 11 de abril de 2012 at 17:47

    Confesso que sou do grupo dos reclamões, mas não reclamo com quem não conheço! E por mais que eu seja reclamona não fico dando corda pras véias hauahuaha
    Mas realmente, td mundo deveria ter bom senso e ver que ngm é obrigado a ficar ouvindo esse tipo de coisa!!!
    Beijossssss

  • Leave a Reply