Pessoal

Gente como a gente

Fazendo uma ronda rápida por blogs queridos (coisa que preciso admitir que não faço há muito tempo), enquanto lamentava com meus botões meu afastamento do mundo blogueiro e remoía minha inveja por todo o talento que existe por aí nesse mundo, eu finalmente tive uma epifania.

Tudo aconteceu quando eu saí do blog da Anna Vitória e rumei para o blog da Larie, e constatei algo que sempre esteve bem debaixo do meu nariz e eu nunca consegui enxergar.

Existem milhares de diferenças entre esses textos: enquanto o da Anna é consideravelmente mais longo, mais trabalhado, cheio de técnicas e exalando dom jornalístico, o da Larie é um texto curto, espontâneo e sincero. Não que o post da Annoca não tenha sinceridade – é só que existe um quê diferente, como a diferença entre aquilo que sai pela boca mal passando pelo cérebro e o que é cuidadosamente pensado antes.

Ambos têm suas vantagens, esse está longe de ser o ponto. A questão é que eu finalmente me dei conta de que não é preciso ter dom aperfeiçoado do berço (como a Anna) ou cursar jornalismo (como Ana Luísa e Taryne), basta ter dedos. Ou boca, ou nariz ou qualquer coisa com que você possa digitar/falar/escrever. Se a gente souber se expressar, nada mais é necessário.

Um texto curto, um texto longo. Frases cuidadosamente planejadas ou essencialmente viscerais. No fim das contas, nada disso importa. Cada um tem a sua voz.

E agora, só porque precisei invejar Anna Vitória usando gifs do filme da minha vida, aqui vai um pouco de “A Nova Cinderella” (A Cinderella Story) para alegrar o ambiente e ilustrar o que acabo de dizer:

Previous Post Next Post

You Might Also Like

6 Comments

  • Reply Gabriela Freitas 19 de fevereiro de 2014 at 00:39

    Escrever é arte, e arte é o que cada um cria com suas próprias ferramentas, acho que os textos mais bonitos são aqueles em que a gente sente o que o escritor do mesmo sentiu enquanto o escrevia. Texto que toca a alma.

    http://www.novaperspectiva.com/

  • Reply Anna Vitória 19 de fevereiro de 2014 at 22:12

    Ai que honra ser citada <3
    Acho que é por isso que eu gosto tanto de blogs, sabe, por isso que nunca conseguirei me desapegar. Acho o máximo isso de qualquer pessoa poder ter um espaço onde ela possa dizer que está pensando, sentindo, contar da vida, divagar, etc. E eu amo acompanhar esses pequenos universos <3

    Mas ei, agora quero um post da senhorita contando sua história com A Nova Cinderela, poxa!

    beijos! <3

  • Reply marcela 20 de fevereiro de 2014 at 23:19

    A estilística da Anna não é coisa desse mundo!! Por incrível que pareça ainda não li o blog da Larie, mas sei que existem muitas pessoas que tem o perfil dela. No final quem sai ganhando somos nós leitoras! Beijão e amei a header do teu blog!

  • Reply Tay 4 de março de 2014 at 04:05

    Cada uma de nós, como blogueiras, temos o nosso estilo. Que bom, né! Seria uma chatice se o estilo de todas fosse parecido. Beijo.

  • Reply Milena M. 8 de março de 2014 at 16:33

    Tudo que eu queria nessa vida era voltar no tempo e mostrar esse post pra Milena do ano passado. Eu fiquei tão encucada em estudar literatura que me calei, o que não é aceitável!!!!!!!!!!
    Sou muito grata pela blogosfera em geral. Acho importantíssima essa liberdade de expressão sem a ambição de ser um sucesso, sabe?
    Beijo, Palozinha <3

  • Reply Suzi 9 de março de 2014 at 23:19

    A Larie estava precisando ler isso, viu? Se não me engano, num texto passado (e antigo, acho), ela se lamentava por não ter o dom da Anna.

  • Leave a Reply