Pessoal

Reviravoltas

Desde o texto de ontem fiquei meio irritada comigo mesma e com a minha falta de iniciativa. Olhei pro blog e a primeira coisa que eu pensei foi, não aguento mais, preciso fazer alguma coisa, preciso de um template novo. Não que eu realmente precisade de um template novo em si, eu acho que precisava mesmo era de algo pra fazer. Então eu fui lá e fiz. Não um template, quatro templates, pra falar a verdade. O resultado foi a cara nova do blog.

Agora preciso de outra atividade. Encher o saco do meu irmão não conta, porque isso eu fiz a vida inteira (o que inclui essas férias), e ele tá sendo muito legal e aturando acordar cedo (lê-se 10h) pra assistir comigo filmes em inglês sem legenda. Por que? Ah, sim, se você é novo aqui não sabe ainda que eu não sou muito normal. Eu simplesmente decidi que depois de quase três anos de curso de inglês ele já devia ser capaz de entender inglês. E fora que se eu for deixar ele nas mãos da maioria dos professores do curso, a pronúncia dele não vai ser boa como poderia. Sim, pensamentos profundos de mãe coruja, mas na verdade pode ser mais um efeito da falta do que fazer. Fora que ele é minha companhia nessa hora, e acho que meu subconsciente quer castigá-lo por passar o dia inteiro na rua e largar a irmã sozinha em casa.

Mudança de humor brusca. Estou me sentindo bem mal agora, e não foram os oito pedaços de pizza que eu comi ontem a noite. Meu professor de guitarra vai embora. É egoísta da minha parte querer que ele não fosse, porque se ele recebeu uma proposta e aceitou é porque ela é vantajosa pra ele, mas eu realmente vou sentir falta dele, das aulas, e das semi-broncas porque eu não praticava. Sabe, é muito diferente a relação professor-aluno de uma escola, onde as turmas são grandes, e de uma aula de guitarra, onde era só eu e ele, a gente conversava bastante, era legal falar com ele, sabe, fora também que ele não era tão mais velho que eu. Eu vou sentir saudades, porque apesar de eu ter preguiça de pegar a guitarra por iniciativa própria e praticar, eu adoro tocar. e vou sentir saudades porque ele foi o professor que eu mais gostei.

Eu odeio quando as coisas são tiradas de mim. Eu cresci mimada, não há nada que eu possa fazer, eu posso controlar minhas ações, minhas palavras, até meus pensamentos, se eu me esforçar, mas não dá pra controlar o que eu sinto. O que eu sinto é um frustração muito grande, porque eu não posso mudar as coisas, e mesmo que pudesse eu não tentaria, porque não seria justo, mas ainda assim eu realmente queria que fosse diferente. Nossa, quanto melodrama, certo? O mundo não desmoronou, mas é que eu já tô meio sensível, sentindo saudades dos amigos, e a cada minuto que passa minha vida parece um pouquinho mais vazia. Droga, não consigo mais enxergar o teclado.

Texto originalmente postado no Uol blog.

Previous Post Next Post

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply