Pessoal

Running away

Seguindo a receita de sempre, cá estou eu de volta apenas para dizer o que vocês já sabem (que sumi na poeira), que isso pesa na minha consciência (o que nem sempre é verdade) e choramingar um pouco sobre os motivos disso tudo (que, na real, não existem). É exatamente por isso que eu não venho aqui há tanto tempo: primeiro, porque eu me sinto um vaso vazio que não tem nada de realmente importante para falar; segundo, porque eu odeio choramingar, e aparentemente isso é tudo que eu tenho a capacidade de fazer ultimamente.

Então eu sou intimada a chegar no blog da Analu e, como acontece sempre que ponho meus pés virtuais por lá, saí culpada. Por quê? Porque eu costumava amar isso aqui, amar a blogosfera em geral, falar sobre nada ou sobre qualquer coisa e de certa forma isso sempre me fazia sentir melhor. E no momento nada tem conseguido me fazer melhor, o que com certeza faz a gente conjecturar.

Não é que eu não tenha escrito, meu “o” caderninho teria belas histórias para contar para o mundo se não estivesse terminantemente proibido de conversar com outras pessoas. A questão é que tudo que eu tenho escrito simplesmente parece pessoal demais para dividir com um número não identificado de anônimos da internet. Ou tudo o que eu não me importaria de dividir com o mundo me parece ridículo e sem importância. E o problema não é com os textos, é comigo.

Eu sou uma ostra, eu gosto (ou não, não importa) da minha concha e, mais importante do que tudo, eu não tenho disposição para sair dela no momento. Então o que eu realmente tenho a dizer, depois de três parágrafos e meio de enrolação é: vocês provavelmente me verão aqui em breve, porque a Analu me indicou para um meme em vídeo, mas depois eu simplesmente não garanto mais nada. A gente espera e vê.

Previous Post Next Post

You Might Also Like

2 Comments

  • Reply Anna Vitória 31 de agosto de 2014 at 20:52

    🙁

  • Reply Ana Luísa 31 de agosto de 2014 at 21:40

    Amiga, vou começar a inventar memes só para te indicar e te ver sempre por aqui. Você pode ser muita coisa nessa vida, mas jamais seria um vaso vazio. Você é cheia. Cheia de coisas boas, e com certeza tem seus momentos tristes, mas saiba que eu estarei sempre te desejando toda a felicidade do mundo! <3

  • Leave a Reply