Pessoal

Saindo da inércia

E lá estava eu, seguindo aquele velho caminho e desistindo de novo. O trabalho que tinha sido começado com toda a animação já estava empacado e quase esquecido… Não era uma história muito boa mesmo. E então veio um golpe de sorte: alguns minutos livres, que eu usei para fazer uma das coisas mais que eu mais gosto de fazer na internet – pesquisar e ler dicas de escrita.

Pois é. Eu acho que mesmo que eu não tivesse a menor pretensão de escrever um livro, essa atividade ainda ia ser uma das mais agradáveis por mim. E eis que nesse momento de suposta liberdade eu acabei encontrando um site muito legal que eu não conhecia ainda: Ficção em tópicos.

Aparentemente o autor, Diego Schutt, é dos meus e depois de desanimar mil e uma vezes, usou seu tempo para pesquisar o aspecto técnico da arte de escrever ficção. Agora, depois de muita informação reunida no assunto, ele divide o que ele aprendeu com a gente. E vocês já ouviram bem como eu aprecio seguir dicas de quem já trilhou o mesmo caminho que eu. (Em tempo: muito obrigada à Del Lang, autora de “Helena”, pelas dicas.)

Hoje resolvi discorrer sobre as duas primeiras dicas que estou colocando em prática e que têm feito maravilhas pela minha eficiência: inspire-se antes de começar a escrever e elimine a autocrítica no início do processo criativo.

Eu sempre tive conhecimento de que algumas atividades me dão uma vontade louca de escrever. Sobre essas atividades eu já falei para vocês e repeti logo no começo desse texto. “Ouvir” sobre a experiência de outras pessoas me empolga a desenvolver minhas próprias experiências. E é por isso que eu não li todas as dicas do Ficção em Tópicos de uma vez, preferi dividir tudo em doses homeopáticas a serem consumidas diariamente quando eu estiver planejando escrever minha trama. Por quê? Porque, mais do que as valiosas informações técnicas que eu tiro daí, a principal coisa que elas me dão é isso: motivação.

Apesar disso, acho que a dica mais importante para mim foi a segunda que eu mencionei. Minhas histórias natimortas nunca tiveram a oportunidade de ver a luz do sol, de alcançar a gloriosa fase de edição. Eu sempre tentei fazer com que rascunhos tivessem a qualidade de obras finalizadas, e só agora eu encarei o fato de que isso nunca vai acontecer. Simples assim. Um rascunho é um rascunho, a primeira versão é necessariamente ruim e se eu me martirizar por isso nunca vou sair do lugar. Meu novo desafio para mim mesma é escrever sem olhar para trás; sem reler o que já foi escrito e segurando o impulso de sair editando tudo antes da hora. Agora eu quero escrever mal, para que eu possa ter o prazer de chegar ao final antes de voltar ao começo.

Não vou dizer que concordo com todas as dicas do Diego, assim como até hoje não concordei cem por cento com as dicas de ninguém. Isso é uma coisa tão natural que fica evidente pelo fato de muitas dicas de autores diferentes se contradizerem entre si. Como qualquer arte, escrever é algo muito pessoal; só encontramos nosso próprio processo criativo na medida da tentativa e erro. É isso que eu estou tentando fazer agora.

Outra dica que eu quero tomar coragem para colocar em prática é dar a vocês algumas informações mais íntimas sobre a história na qual estou trabalhando, para criar em todos nós uma ligação emocional com meu futuro livrinho desde já. Será que vocês se interessariam em saber que o título provisório dele é Felizes para sempre? Será que alguém aí ficou pelo menos um pouquinho curioso?

Previous Post Next Post

You Might Also Like

4 Comments

  • Reply Anonymous 10 de setembro de 2013 at 07:25

    eu fiquei. pode falar mais?

  • Reply Emilie S. 12 de setembro de 2013 at 19:55

    nunca fui atrás de dicas ‘-‘
    acho que preciso… estou meio largada nessa área…

  • Reply Tay 14 de setembro de 2013 at 03:02

    Que linda! Boa sorte na escrita!
    Eu também tô escrevendo um livro há um tempo, e tô bem livre. Também acho que rascunho é rascunho, todo texto tem que ser bem trabalhado…e isso leva tempo. Então só quero ter motivação pra que ele fique bom.
    Beijo! 😉

  • Reply Ana Paula 2 de julho de 2014 at 17:40

    Cheguei aqui através do blog da Ana Luísa e cliquei direto em “diário da escritora” porque também tenho o desejo de publicar um livro um dia. Me identifiquei super com suas questões, obviamente, e adorei a dica do Ficção em tópicos! Já está marcadinho pra ler com calma depois. Boa sorte no seu livro!

  • Leave a Reply