Pessoal

Sol, mar, feriado e nostalgia

Sol, praia, feriado decretado por mim, já que a escola resolveu torturar os pobres alunos. Nove e meia da manhã e esta criatura branquela que vos fala, com seu biquini vermelho, parecendo um ser extra-terrestre no meio da praia. Tudo vazio, a água gelada, o sol fraco, ótimo para aquecer os ossos. Dava até para dormir, se não fossem pai e irmão falando no ouvido. Eu adoro praia, sabe, mas não para simplesmente ir lá, torrar e voltar pra casa, eu gosto de praia pra ficar deitada, de olhos fechados, mexendo na areia e sentindo o sol na pele, e acho que esses encantos não iam durar se eu fosse uma freqüentadora constante. O meu encanto pela praia só vai durar enqüanto tiver distância, ela lá e eu aqui, com encontros ocasionais, como aquela pessoa da família que você adora, mas isso porque vocês só se vêem no Natal e olhe lá.
Teve um tempo da minha vida que eu ia bastante à praia, praticamente todos os dias, já que a praia era bem perto de onde eu morava. O tempo que eu morei em Praia Grande foi um tempo muito bom na minha vida, não consigo nem lembrar da parte da minha infância antes de eu ir pra lá, praia na esquina de casa, brincar na rua com os amiguinhos, foi lá que eu aprendi a andar de bicicleta sem rodinha, de patins, lá era onde eu tinha minhas aulas de dança, onde a maioria das coisas legais que eu me lembro da minha vida aconteceram. Crescer dá uma nostalgia… Às vezes eu tenho vontade de ficar para sempre como eu estou agora… 
Texto postado originalmente no Uol blog.
Previous Post Next Post

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply