Pessoal

Superpoderes

___________________________________________
Interrompemos a programação para um digníssimo “momento panda”.
Olha que vergonha. Me sinto ingrata, porque mais de um mês atrás fui indicada pela Del (que, por sinal, tem um dos melhores blogs que eu conheço) para o selo que está aqui em baixo. Quando vi meu link na lista, quase chorei, de verdade. Claro que eu sou uma chorona compulsiva, mas isso não diminui o tanto que eu me emocionei com isso. Agora eu tenho que indicar 5 blogs. Vou tentar não quebrar a linha, então infelizmente não vou poder indicar o Bonjour Circus, e estou tão ausente do mundo blogueiro que realmente não sei se algum dos meus indicados já recebeu. Se sim, desculpem minha “perdidez”. De qualquer jeito, amo muitos outros e fico triste por não indicar todos, me perdoem!
Voltamos agora à programação normal…
___________________________________________
Racionalmente, eu sempre soube que as pessoas nesse mundo não leem pensamentos, mas acho que essa ideia nunca realmente se alojou no meu cérebro até agora. Eu nunca gostei de ter que dizer o que eu sentia ou pensava. Para falar a verdade, ainda não gosto. Para mim as pessoas simplesmente deveriam saber. Como era possível que elas não soubessem? Meus pensamentos não estavam escritos em hieróglifos, peloamor. E eu chegava a ficar com raiva por causa disso.
Claro que esse nunca foi a única razão para eu não gostar de falar. Eu também sempre tive medo. Medo de virar aquelas pessoas chatas que falam demais, ou que remoem os problemas nos ouvidos dos outros sem dó nem piedade. Ouvir é sempre mais seguro. E medo do que pensariam de mim, medo do julgamento alheio, mesmo de quem eu considerava amigo.
Foi assim até que a ficha caiu. As pessoas não são perfeitas, Paloma. E elas definitivamente não são ‘adivinhas’. Se eu quero que alguém saiba de algo, tenho que falar. Essa foi minha grande revelação. Além do que, se o não falar dificultava que as pessoas me julgassem (o que, na verdade, não acontecia), também  impedia que as pessoas gostassem de mim em um nível mais profundo. Daí vem meu complexo de rejeição, a rejeição que eu mesma criei para mim.
Já falei um milhão de vezes que agora estou numa onda de me conectar. E isso, inevitavelmente, me levou à necessidade de falar. Agora, mesmo que eu ainda não goste, eu estou começando a me comunicar com o mundo. Mas ainda acho que tudo seria mais fácil se as pessoas simplesmente tivessem superpoderes.
Previous Post Next Post

You Might Also Like

4 Comments

  • Reply Alessandra Rocha 31 de maio de 2012 at 11:29

    mimimimimimi PAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA *—–* QUE COISA LINDA! <3
    e guria, tenho o mesmo problema que voce acredita? :O Mesmo sendo uma matraca que não para de falar .quase. nunca, eu morro de medo de falar, de ser mal-entendida, eu construi minha personalidade inteira de modo que pudesse evitar conflitos, mas pensa comigo como tambem poderia ser péssimo se todo mundo pudesse ler nossos pensamentos? a gente não podeira xingar mentalmente, nem pensar safadezas e talvez o mundo fosse mais complicado do que já é! Ja pensou nisso?

    E obrigada pelo selinho, amei amei amei! <3

  • Reply Ana Luísa 31 de maio de 2012 at 15:25

    Bonita! Obrigada pelo carinho! Também adoro o seu blog! Quanto aos pensamentos, eu sou da turma que fala.. então na verdade não fico muito magoada quando as pessoas não se tocam. Mas aí uma hora ou outra a gente acaba conhecendo alguém que, sabe-se Deus como, te conhece há 2 dias e sabe tudo o que você pensa. É assustador, mas bom. Mas é realmente melhor que não seja assim com todo mundo. Tem hora que dá até medo de pensar perto de pessoas assim. HAHAHA
    Beijos!

  • Reply Anna Vitória 31 de maio de 2012 at 17:49

    Palominha, sua flor, que homenagem linda! Adorei e fiquei MUITO feliz pela lembrança, mesmo mesmo mesmo! <3
    Quanto ao seu post, me identifiquei muito. Também tenho problema de falar e nem é por medo. É que eu sou muito boa em “ler” as pessoas, sabe? Eu sempre sei quando alguém está bem, ou mal, sou dessas especialistas em pegar as coisas no ar. Isso é bom e ruim, mas não vem ao caso. O negócio é que eu penso que todo mundo é igual eu, que percebe assim do nada, e é por isso que muitas vezes deixo de falar. Mas estou trabalhando, haha, boa sorte pra nós!
    beijos

  • Reply Rafaela 31 de maio de 2012 at 18:59

    Ah, que fofaaaaaa!! Amei, amei, amei <3

    Putz, entendo perfeitamente o sentido desse post. Acho imensuravelmente difícil entender o que se passa na cabeça dos outros e, por isso, sempre imagino o pior. É uma porcaria! Por outro lado, eu mesma sou uma das piores em falar. JURO! Não sou boa em demonstrar sentimentos, já fui milhões de vezes chamada de fria por causa dessa característica. Mas, sou uma das pessoas mais simples que existem. Se pudesse, diria tudo na cara. Só que eu não consigo. Vivo tentando dizer pros outros, por exemplo: “Te adoro, te amo, etc.” mas nunca sai. E, quando sai, eu me arrependo no minuto seguinte. É TENSO.
    Eu também adoraria que todo mundo tivesse superpoderes, viu?!

    Beijos, e muito obrigada <3

  • Leave a Reply