Pessoal

Tic tac acelerado

Nem é ano de vestibular ainda, e meu relógio parece que já dobrou duas vezes a velocidade. Aula de tarde não é mole, não mesmo, sorte que são duas vezes por semana só. Estranho como o tempo muda. Ano passado um dia demorava vinte e quatro horas pra passar, esse ano parecem mais vinte e quatro minutos. Até as tardes livres então mais curtas, a única coisa que parece que alongou bizarramente foi a aula do curso de inglês… É uma coisa tão relativa que até assusta. Certamente que a vida seria extremamente aborrecida se tudo fosse como a matemática, então é melhor que fique assim mesmo. 
O que me assusta é aquele pensamento que chega de vez em quando, imagino que todo mundo já deve ter tido, “e seu eu não tiver tempo de aproveitar? E se passar rápido demais e eu simplesmente perder todo o tempo que eu tenho?”. Geralmente esses pensamentos são seguidos daqueles do tipo “deixa de ser besta, você só tem quinze anos”. Mas então vem aquele que diz que esses quinze aninhos passaram extremamente rápido, em um piscar de olhos eles podem virar trinta. É melhor eu deixar esse acompanhamento de pensamentos só nisso, porque se nesse estágio minha confusão mental já está feita, imagina se eu tentasse fazer com que vocês acompanhassem até o fim. Felizmente eu ainda tenho a felicidade de pegar uma folha de caderno no meio de uma aula chata e escrever. História, coisas sem sentido, um projeto de post ou o que seja. Escrever desanuvia, ajuda a resfriar a máquina superaquecida que minha cabeça vira constantemente, válvula de escape. 
Texto postado originalmente no Uol blog.
Previous Post Next Post

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply