Pessoal

Um dia (4 de maio de 2013) + decepção cinematográfica da semana

00:00h – Mais um sábado normal na vida da minha pessoa. Quando o dia começou, à meia noite, me encontrou deitada na cama, pronta para dormir, “desenhando minha vida” no meu lindo e já antigo caderninho de coruja que eu ganhei de amigo oculto da Dedê em 2011. O relógio já se aproximava da 1h quando eu finalmente fui dormir.
5:50h – Não parecia que 5 minutos haviam se passado quando meu pai me acordou, às 5:50, para tomar café em família e me preparar para a saga de ir ao Centro Espírita às 7:30.
7:30h – Às sete e meia em ponto lá estávamos nós – eu, mamãe e vovó – para nosso programa familiar matinal, que acabou durando muito mais do que esperávamos. Apesar dos pesares, comemos um pedaço de bolo verde com coca-cola e voltamos caminhando para casa, no sol de meio dia.
12:20h – Chegando em casa, os chuveiros foram postos para trabalhar e um rapaz que eu eventualmente chamo de “namorado” veio me buscar para passarmos o (que sobrou do) dia juntos.
13:30h – Almoçamos e ele usou o computador enquanto eu tentava adiantar algo do livro que eu precisava ler para segunda-feira. Esse plano não deu tão certo, mas consegui tirar um cochilo de uma hora para resistir viva ao programa marcado para a noite.
19:00h – Por sugestão minha, eu, Namorado e um fiel casal de amigos fomos ao cinema assistir Somos tão jovens – filme que eu queria muito ver, e eles aceitaram fazer a minha vontade. Coitados.
21:00h – Primeiro comemos um lanche com alto teor de colesterol no Balada Mix (tirando a Ju, que conseguiu ser light), e depois fomos assistir o filme.
22:00h – Eu realmente esperava algo legal desse filme. Bem, apesar de não conhecer nada da vida ou personalidade do Renato, eu gosto das músicas. E o fato de que todos eles estavam prevendo momentos terríveis durante a sessão só me deixava mais otimista, já que geralmente temos opiniões opostas sobre os filmes.
Só que dessa vez eu tive que dar razão a eles. Porque o nível de atuação estava tão, mais tão ridículo que eu elegi o cara do bar como melhor ator, e qualquer pecinha de jardim de infância estaria melhor. Não consegui acreditar no que eu estava vendo.
Além disso, as cenas eram desconexas e o filme acaba – literalmente – do na.da. E eu jamais tinha imaginado um Renato Russo tão afetado. E nunca existiu um que cantasse tão mal. Sério. Só mesmo as músicas se salvaram, se você conseguisse abstrair os desafinos.
Pelo menos foi bastante material para irmos discutindo e criticando até o carro e no caminho até em casa.
24:00h – Chegando a minha humilde residência, lembrei que não fazia ideia de onde estava a minha chave, e tive que ligar para o meu pai me deixar entrar. Mas isso já não é da conta de vocês, pois já passava da meia noite e o dia já tinha acabado.

“Um Dia” é um meme anual da Máfia baseado no livro homônimo (de David Nicholls) que consiste no registro dos acontecimentos de um dia na vida de cada uma de nós. Foi ao ar pela primeira vez em 04/05/2012 (postado aqui no blog em 07/05/2012).

Previous Post Next Post

You Might Also Like

13 Comments

  • Reply Gabriela, 5 de maio de 2013 at 21:09

    Aaaah, eu ainda não vi Somos tão Jovens e agora fiquei com um pé atrás. Tomara que eu goste.
    Beijo!

  • Reply Ana Luísa 5 de maio de 2013 at 21:29

    Palo, adorei o fim do texto, HAHAHA. “Isso não é da conta de vocês”. E menina, to com tanta pouca vontade de ver esse filme, nem você nem Rafinha gostaram.. Não queria ver e me decepcionar, então acho que não vou ver. HAHAHA
    Saudade de você!!!
    Beijo

  • Reply Tary 5 de maio de 2013 at 21:30

    Palomitcha, você simplesmente conseguiu diminuir ainda mais minha vontade de ver esse filme (que já tava abaixo de zero). Vou ficar com minha biografia e meu Legião ao vivo mesmo. Acho que é melhor.

    beijos!

    P.S: Saudade monstra de vir aqui <3

  • Reply Anna Vitória 5 de maio de 2013 at 23:49

    Poxa, Paloma! Eu tava até com vontade de assistir ao filme, mas suas impressões jogaram um balde de água fria sobre ela HAHAHA

    Também estava com saudades de passar aqui, não vou sumir mais!

    beijo

  • Reply Carolinda 6 de maio de 2013 at 11:26

    hahahahha, também estava na maior expectativa para ver esse filme, mas agora murchei, acho que nem quero mais porque não sou fã do Raul, nem ao menos fico ouvindo suas músicas. E, Paloma, se esse bolo verde for o mesmo de uma receita que eu experimentei no natal passado, gente, é simplesmente uma delícia!
    Beijinhos, linda ♥

  • Reply Alessandra Rocha 6 de maio de 2013 at 16:45

    Nossa Palo, que impetuosa você pra falar desse filme! Hahahahaha eu quero ver mas mais pela diversão mesmo e pelas músicas, aguardemos então.

    Que delícia ler esse meme de vocês tô goxtando muito! (:

    beijos

  • Reply Alessandra Rocha 6 de maio de 2013 at 16:47

    Nossa Palo que impetuoso o seu julgamento do filme! Eu quero ver, mas não tô esperando nada de espetacular não, só tô curiosa, mas aguardemos, tô vendo que esse filme vai causar muita polêmica ainda, ou não né? Haha

    mas ai que delícia ler sobre o dia de vocês!

    beijos

  • Reply Flá Costa*' 7 de maio de 2013 at 08:40

    Gente, gata… eu li tanta coisa justamente falando que o filme em si não se salva mas que a atuação do personagem principal é um assombro. Juro, “assombro”, tá na época dessa semana. Que decepçãozinha saber que é tão fraquinho assim.

    Mas quero assiistir ainda, porque né. rs…

    Beijoca e boa semana!

  • Reply Lara 7 de maio de 2013 at 10:00

    Esqueci o que eu estava fazendo no dia 4 de maio…

  • Reply Mayra 7 de maio de 2013 at 19:36

    Também rolou uma decepção com “Somos Tão Jovens”, viu? Achava que ia contar a história inteira do Renatinho e termina bem na parte que as coisas começam a ficar legais! Mas eu gosto tanto dele que nem prestei atenção na atuação, só ficava imaginando o quanto daquilo tudo era real e minha amiga ficava dizendo “cara, ele é chato” e eu “ele é esquisito, ok, mas, ainda assim eu casava” HAHAAH Mas, claro, achei o filme péssimo, não recomendo e não veria de novo. Fui esperando algo tão legal quanto o filme do Raul Seixas que eu vi ano passado e voltei pensando que conseguiram fazer algo pior do que o filme do Cazuza.
    E, cara, vc acorda muito cedo no sábado. Socorro.
    Abraços!

  • Reply Julianna Alves 14 de maio de 2013 at 21:51

    Eu juro que tentei ser otimista também, Pah – apesar dos meninos ficarem zoando, né – mas o moço da venda foi sem dúvida o melhor ator do filme, haha.
    Adorei o post *-*
    beijinhos

  • Reply Manie 1 de junho de 2013 at 22:49

    nossa, quase todo mundo que assistiu ao filme não gostou.
    eu acho que gostei tanto que as atuações não afetaram muito… senti que quem fez o filme não se preocupou muito com a atuação em si, mas com outras coisas. o filho do dado nem ator é, mas foi relativamente bonitinho ver ele fazendo o papel do próprio pai.

    mas confesso que achei aquele gringo um pouco bizarro e a voz do que fez o hebert viana foi tipo: o.o

    eu já gostei bastante da representação do renato russo, sério. eu achei parecido, especialmente as dancinhas e tal.

    gostei mais pela história do que pelos detalhes, me identifiquei com algumas coisinhas. a cena final foi bonitinha, dele com a aninha.

    quando o filme acabou eu também fiquei meio stand by, mas depois saquei que tinha terminado e saí de lá meio ‘caraca, podia ter colocado pelo menos um “esse filme acabou”‘

    http://www.pe-dri-nha.blogspot.com

  • Reply 2014 também teve quatro de maio ◂ Vizinha da Capitu 1 de fevereiro de 2016 at 18:59

    […] ano eu tive o quatro de maio mais fantástico da história. Daqueles de deixar todos os anteriores no chinelo. E, apesar do motivo duplo para postar (o meme em si e o conteúdo dele […]

  • Leave a Reply