Pessoal

Uma vez e sempre

E aqui estou eu de novo, e mais uma vez eu demorei. As férias estão acabando e lá se vai o controle sobre a minha vida que eu gostava de achar que tinha. Estranho como você pode gostar de uma idéia, mesmo ela não sendo verdade, né? Amanhã começam as aulas de novo. Eu sei que amanhã é terça e eu sei quão estranho isso é, mas não é isso que vem ao caso agora. Esse ano vai ser agridoce, como o ano passado, vai ser bom porque eu sei que, apesar de todo o peso e as responsabilidades do vestiular, eu vou me divertir. E vai ser ruim porque é o último. Adeus escola, pena que eu aprendi a aproveitar tão tarde. Pena que não dá para voltar. Mas chega de tristeza antecipada, porque hoje tá um dia lindo de nuvens brancas cobrindo todo o céu azul (eu gosto!), e o último dia de férias não pode ser disperdiçado com depressão!

Junto com o vestibular, esse ano, eu ganhei de presente coragem pra finalmente entrar na natação e aprender a não morrer afogada. Ontem na casa da vovó eu aprendi como se nada, hoje eu vou fazer o teste no lugar onde eu vou nadar. Eu gosto muito de água, só que eu não fiz natação quando era pequena como a maioria das criaças normais. Em vez disso eu dancei, e não me arrependo, dançar continua sendo e vai ser pra sempre o que eu mais gosto de fazer.

Esse ano também parei as aulas de guitarra. Foi na verdade uma decisão mais fácil do que seria, visto que eu acabei sem professor de qualquer jeito, achei melhor esperar pra me matricular em algum lugar quando eu tiver tempo para respirar e viver de novo. Mesmo se eu teimasse e tirasse tempo do estudo para a aula, eu não ia ter tempo de treinar, então deixa estar por enquanto. Só por enquanto, claro.

Material novo pronto, lindo, cheiroso e arrumado na mochila, esperando pelo dia de amanhã. Eu adoro material escolar novinho, quando as pontas dos livros ainda não amassaram, a borracha ainda branquinha, tudo limpo. Quando eu com toda a minha estabanadice ainda não tive tempo de sujar, estragar, ragar, ou qualquer coisa do gênero. Adoro a sensação da coisa nova, sabe? E eu sei o quão sortuda eu sou de ter isso, então o meu papel é aproveitar ao máximo essa sensação. Tem gente que gostaria e não pode, tem gente que pode e não repara. Sou a favor da filosofia de que se você não reparar em tudo, você pode acabar perdendo coisas muito importantes, mesmo que sejam detalhes.

Espero que estejam preparados para acompanhar a rotina de uma vestibulanda em crise esse ano. Prometo que tentarei não ser muito chata.

Texto originalmente postado no Uol blog.

Previous Post Next Post

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply