Pessoal

Vagalumes

"Você alguma vez já viu um vagalume?", foi o que me perguntaram.

E eu lembrei da minha infância. Lembrei dos meus amigos, daquela cidadezinha que ninguém aqui conhece. Lembre de patinetes, quadras de basquete e grama. Aqueles bichinhos brilhantes voando aos montes na rua escura. Quem pode descrever a beleza de um vagalume? Quem pode definir a sensação de risos e perseguições. O gosto de asinhas batendo dentro da sua mão – tão menor do que é agora- até ela se abrir  e a luz encotrar de novo as companheiras nadando no céu escuro. Mãozinhas pequenas, porém cuidadosas, nunca um deles foi esmagado, nunca um saiu ferido. Era como uma história de ninar. Dezenas de fadinhas voando em volta. E acabou.

Faz sete anos que eu não vejo um vagalume. Sete anos que nenhuma daquelas luzesinhas fluorescentes cruza o meu caminho pra me lembrar que eu já fui criança. Pra me lembrar daquela cidadezinha tão tão distante, daquela casinha branca de janelas azuis. De contos de fadas e do reino encantado da minha infância. E sabe o que eu percebi? Eu quero que meus filhos tenham fadinhas pra eles também. E eu quero meus vagalumes de volta. Alguém me diz onde eles ficaram?

Finalmente consegui pôr em dia meus deveres de blogueira. Caso você tenha acabado de chegar e ainda esteja meio perdido, talvez seja bom dar uma olhada no post anterior. Volto logo.

Texto postado originalmente no WordPress.

Previous Post Next Post

You Might Also Like

No Comments

Leave a Reply